Angel foi adotada após ser esfaqueada em março deste ano — Foto: Reprodução/ EPTV 2

Cachorra de Campinas que sobreviveu a 12 facadas recebe novo lar

A cachorra Angel, que sobreviveu após ser levar 12 facadas de parentes do antigo tutor em Campinas (SP), ganhou um novo lar. A cadela foi resgatada pela ONG Laticão em março deste ano e adotada recentemente pelo Iran Vicente de Paula. Apesar de sofrer os maus-tratos, Angel é muito carinhosa.

VÍDEO: Cadela que sofreu maus-tratos é resgatada e tem novo tutor

“Me conquistou. Brinca comigo. Quando eu chego aqui, ou na chácara, ela escuta o barulho do meu carro e já vem correndo”, comenta o novo tutor, que depois de receber a cadela, ainda adotou o Kaled, mais velho do que ela.

Com mais de 60 animais aguardando a adoção, os adultos demoram cerca de 2 anos para serem escolhidos. Na maioria das vezes, são preferidos os filhotes ou os que possuem olhos e pelos claros.

“São uma série de preconceitos. Que o animal não vai aprender a fazer xixi no lugar certo. Que o animal é agressivo, que não vai aceitar criança, que não vai aceitar o gato, entre outros motivos. Mas, na verdade, é preconceito”, explica Fernanda Fabris, presidente da ONG Laticão, que fica em Sumaré (SP).

Na ONG Amor de Bicho, em Campinas, 90% dos 80 animais que a organização cuida chegaram como vítimas de maus tratos. A presidente da instituição, Ana Carolina Pimenta, comenta que os cães maiores possuem as suas vantagens, caso sejam escolhidos.

ONG Amor de Bicho tem mais de 80 animais aguardando adoção — Foto: Reprodução/ EPTV 2
ONG Amor de Bicho tem mais de 80 animais aguardando adoção — Foto: Reprodução/ EPTV 2

“Esses são os típicos vira-latas, só têm amor para dar. São muito mais gratos, já passaram por muita coisa. Você sabe o temperamento, a idade e já vem castrado”, finaliza Ana Carolina.

Para adotar um ou mais animais, entre em contato com as ONGs através dos e-mails [email protected] e [email protected].

Fonte: G1

Região de Campinas tem uma denúncia de maus-tratos aos animais a cada 43 horas

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.