Cachorra de dois meses é degolada com facão por vizinho em Cuiabá

Cachorra de dois meses é degolada com facão por vizinho em Cuiabá
Reprodução/Arquivo Pessoal

A cachorra Belinha, da raça basset, de dois meses, foi degolada pelo vizinho da residência em que ela morava no bairro Serra Dourada, em Cuiabá.

Taura Lopes, tutora da cachorra, postou sobre o caso e sua indignação em seu Facebook. De acordo com ela, nessa segunda-feira (04.01), seu filho, um menor de idade, flagrou o vizinho chamado Lindolberto matando o animal.

“É com muita indignação que venho posta esse fato que me ocorreu hoje por volta de meio dia, esse sujeito por nome Lindolberto que infelizmente é meu vizinho no bairro Serra Dourada, Cuiabá-MT, degolou cruelmente a facãozada com vários golpe na frente do meu filho, uma criança de 13 anos que inclusive está assustado em pânico”, (sic), contou.

Ainda segundo ela, o vizinho alegou que “Belinha” teria matado duas galinhas dele. “Mas isso não justifica essa tamanha maldade. Ela era criada dentro de casa todo tempo, jamais tivemos ocorrência dela mata outros animais até porque ela era brincalhona e um filhote”.

Taura contou ainda que o filhote escapou da residência por um descuido do filho, quando ele foi atrás da cadela, se deparou com ela sendo degolada pelo vizinho.

“Quando se deparou com a cachorra sendo degolada a fação logo em seguida veio me informar assustado, que foi esse momento do vídeo, onde eu fui ao encontro e me deparei com a cena mais monstruosa que já vi”.

A moradora acionou a Polícia Militar que conduziu o vizinho a Delegacia para explicações, mas, conforme ela, ele continua solto.

“Ele contínua solto e eu peço que esse monstro pague por essa crueldade. Você que gosta ama um animal, deve me entender, porque eu estou passando sem chão e como vou tirar da cabeça de uma criança essa cena horrível. Espero que realmente a Justiça seja feita, porque isso não se faz com ninguém imagina com um bichinho inocente”, lamentou.

Por Izabella Araújo/VG Notícias

Fonte: VG Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.