Cachorra é atingida na cabeça por arma de fogo

Cachorra é atingida na cabeça por arma de fogo
Imagem divulgação APADOT/D+News

Na manhã desta terça feira (04), um caso chamou a atenção na cidade de Taió na rua Voluntários da Pátria, bairro Victor Konder. Uma cachorra sofreu ferimentos por arma de fogo na região da cabeça.

De acordo com a tutora do animal, ela não estava em casa no momento, mas populares relataram que uma pessoa estaria passando pela rua e o animal saiu do cercado latindo e investiu contra o mesmo, por medo e para preservar sua segurança, a vítima atirou no animal. A cachorra foi socorrida e esta em uma clínica veterinária onde passará por raio-X e cirurgia.

Foi registrado na Delegacia de Polícia Civil um Boletim de Ocorrência para investigar as circunstâncias do caso.

Maus-tratos contra cães e gatos – o que diz a lei?

A Lei 14.064/2020 aumentou a pena para quem maltratar cães e gatos. A partir de agora, quem cometer esse crime será punido com 2 a 5 anos de reclusão, multa e proibição da guarda. Caso o crime resulte na morte do animal, a pena pode ser aumentada em até 1/3.

A referida legislação alterou a Lei 9.605/98, que dispõe sobre os crimes contra o meio ambiente, fauna e flora e prevê pena de detenção de 3 meses a 1 ano e multa, no caso de crime de maus-tratos contra animais.

Veja o que diz a lei:

Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998.

Dos Crimes contra a Fauna

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

§ 1º-A Quando se tratar de cão ou gato, a pena para as condutas descritas no caput deste artigo será de reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, multa e proibição da guarda. (Incluído pela Lei nº 14.064, de 2020)

§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Fonte: DEMAIS FM ALTO VALE

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.