Cachorra supostamente violentada comove moradores em Araraquara, SP

Página no Facebook propõe manifestação contra a agressão a July. ‘Foi a primeira vez que vi algo assim, foi chocante’, relata veterinária.

Por Stefhanie Piovezan

O caso de uma cachorra que teria sido violentada no bairro Jardim Del Rei, em Araraquara (SP), está gerando comoção e moradores planejam realizar um ato de protesto. O episódio foi registrado em um boletim de ocorrência na última sexta-feira (5) e será investigado pela equipe do 1º DP da cidade.

A manifestação contra a agressão está marcada para quinta-feira (11) e 1,5 mil pessoas confirmaram presença na página do evento, intitulada “Justiça para cadelinha estuprada em Araraquara”.
Caso

A protetora de animais Verônica Oliveira socorreu a cadela na última terça-feira (2), após os pedidos de uma amiga que viu July na rua. “Quando cheguei, ela estava sangrando, machucada na parte de trás, e não estava andando”, disse.
Segundo ela, moradores do bairro contaram que o animal pertencia a uma família, mas que passou a morar na rua e ninguém o queria. No domingo, porém, o dono teria levado a cachorra para casa.

“Eles disseram que ela estava perfeita quando ele a recolheu. Ele mora sozinho desde que a mãe morreu, no ano passado, e o chip mostra que ela estava registrada em nome do irmão dele”, contou Verônica. Indignada, ela registrou o boletim na delegacia. “Nunca vi uma coisa dessas”, afirmou.

O caso também surpreendeu a veterinária Carla Patrícia da Rocha, que atendeu July. “Ela estava com muita dor, com vulva e ânus machucados. Estava traumatizada, não queria que nos aproximássemos”, relatou.
Nos dias seguintes ao primeiro atendimento, a cadela voltou ao consultório para receber antibióticos, antiinflamatórios e analgésicos, e teve material da região machucada coletado para exames. “Ela é castrada. Outro animal não faria isso com ela.

Foi a primeira vez que vi algo assim, foi chocante”, contou a veterinária.
Campanha

July continua sob os cuidados de Verônica, que também mantém outros animais abandonados e pede ajuda para tratar dos bichos. Quem tiver interesse em contribuir pode entrar em contato pelo telefone (16) 9-8147-4153.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.