Cachorro baleado por vizinho militar no México; agressor foi liberado.

Cachorro baleado por vizinho militar no México; agressor foi liberado.

O caso do ataque a um cachorro, identificado como ‘Max’ por um soldado no bairro de Moctezuma, da prefeitura de Venustiano Carranza em Cidade do México, gerou grande polêmica e debate nas redes sociais sob a hashtag #JusticiaParaMax, após a informação de que o soldado que atirou nele, que também era seu vizinho, foi liberado.

O cachorro era muito querido pela família. Foto: Especial
O cachorro era muito querido pela família. Foto: Especial

Liberam o militar que baleou Max

O soldado envolvido, identificado como Fernando ‘N’, foi libertado por ordem de um juiz em audiência realizada no dia 29 de abril, o que causou indignação entre internautas e organizações de defesa dos direitos dos animais.

O juiz rejeitou as acusações e ordenou a libertação do homem que trabalha como médico militar devido a uma discrepância de horários declarada por uma testemunha chave, o pequeno proprietário da Max.

Tal discrepância levou a questionamentos sobre a aplicação da lei em casos de abuso de animais. A organização Mundo Patitas informou que o juiz instruiu o Ministério Público a analisar o caso e convocar uma nova audiência assim que estiver pronto.

“Ordenou ao Ministério Público que ‘corrija o plano’ e determinou que quando o Ministério Público estiver pronto, convocará novamente uma nova audiência, enquanto isso, o investigado não deverá se aproximar das vítimas, o que dificilmente conseguirá cumprir devido à proximidade de suas casas.”, anunciou a organização pró-animais.

 No momento da prisão, foi apreendida com ele uma arma curta com dois cartuchos úteis. Foto: Especial
No momento da prisão, foi apreendida com ele uma arma curta com dois cartuchos úteis. Foto: Especial

Vídeo mostra o ataque contra Max

O ataque contra Max foi registrado em um vídeo que foi amplamente divulgado nas redes sociais, onde podem ser ouvidos vários tiros e os gritos do cachorro. Max aparece nas imagens com dificuldade para andar após o tiroteio, o que gerou tristeza e indignação entre os internautas.

O militar foi detido pela Secretaria de Segurança Cidadã (SSC), após um cidadão denunciar o ocorrido. No momento da prisão, foi apreendida com ele uma arma curta com dois cartuchos úteis.

 A sanção vai de dois a quatro anos de prisão. Foto: Especial
A sanção vai de dois a quatro anos de prisão. Foto: Especial

Qual a sanção por maltratar um animal na Cidade do México?

O Código Penal da Cidade do México prevê sanções para quem comete atos de crueldade contra animais. No caso de causar a morte de um animal, as penas podem ser de dois a quatro anos de prisão, além de dias multa e apreensão de outros animais sob seus cuidados. Se o método utilizado causar sofrimento grave, as penas podem ser aumentadas até metade.

Segundo os primeiros depoimentos do militar, o ataque ocorreu em legítima defesa, alegando que o cachorro e seu dono teriam agredido seu pai e que o cachorro o teria mordido. No entanto, estas alegações estão sendo investigadas pelas autoridades competentes, uma vez que existem vídeos que mostram que o soldado foge após disparar os tiros e que estava sozinho.

Por Janet Gómez / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: O Indigo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.