Animal ficou ferido depois de ter sido queimado em Palhoça, na Grande Florianópolis. — Foto: Reprodução/NSC TV

Cachorro de rua é resgatado após sofrer queimaduras em Palhoça (SC) e espera por adoção

Um cachorro de rua de Palhoça, na Grande Florianópolis, foi resgatado depois de ter sido encontrado com queimaduras pelo corpo na noite de domingo (7), possivelmente provocadas por óleo quente. A dona de uma ONG protetora dos animais levou o animal ao veterinário e agora busca um cuidador para ele. O autor dos maus-tratos não foi localizado.

VÍDEO: Cachorro tem parte do corpo queimado e precisa de um lar em Palhoça

O cão é conhecido por quem passa pelo terminal de ônibus que fica na Ponte do Imaruim, onde apareceu há pouco mais de um mês e ganhou o nome de Sorriso. “É que ele parece com um cobrador aqui, sorridente também”, disse o atendente de lanchonete Ícaro do Nascimento Fernandes.

Foi um segurança do terminal quem viu as marcas no pelo do cachorro e ligou para Rosemary Marques, dona de uma ONG protetora dos animais.

“Ele falou que o Sorriso apareceu no terminal com as costas queimadas, possivelmente uma queimadura por óleo quente. Já era tarde, e um pessoal foi até lá, mas ele possivelmente estava se protegendo da chuva e não foi encontrado naquele momento”, disse.

O cachorro só foi localizado na noite de quarta-feira (10). Ele foi levado para a casa de Rosemary e, na manhã desta quinta (11), encaminhado para atendimento veterinário.

O médico-veterinário Mauricio Linardi está otimista em relação ao tratamento. “Vai dar tudo certo. É uma lesão grande, mas tem uma boa probabilidade dele ficar totalmente bem”, falou

Sorriso foi levado atendimento veterinário em Palhoça, SC. — Foto: Reprodução/NSC TV
Sorriso foi levado atendimento veterinário em Palhoça, SC. — Foto: Reprodução/NSC TV

Agora, a ONG aguarda um lar definitivo para o cão. “Atualmente a ONG mantém três lares temporários e mais de 100 cães. Nós não temos onde colocar o Sorriso, então através das redes houve uma mobilização e alguém se prontificou a fazer o lar temporário dele”, afirma.

Crime

Praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais é crime ambiental, com pena de detenção de três meses a um ano, além de multa. Quem presenciar o crime deve chamar a Polícia Militar Ambiental ou por meio do 190.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.