Cachorro de três patas com câncer salva filhote de lontra nos EUA

Cachorro de três patas com câncer salva filhote de lontra nos EUA
Gus, o simpático cãozinho de apenas três patas que se tornou um herói local nos EUA — Foto: Reprodução CBS

Nos EUA, um cachorro que luta uma grande batalha pessoal deu um exemplo de coragem e empatia ao se arriscar para salvar um outro animal: um filhotinho de lontra que estava se afogando em um rio de águas congelantes no estado de Minnesota. E um detalhe que só comprova a coragem do pequeno Gus, um goldendoodle de seis anos – ele teve uma de suas patas traseiras amputadas no início deste ano por causa dos tumores.

A dona do cachorro, Cleo Young, disse à WCCO, uma afiliada da rede CBS, que temia que seu animal de estimação “não pudesse correr como costumava” após a cirurgia e a quimioterapia. “Ele chegou na beira do rio e tinha algo na boca, e acabou sendo uma lontra muito pequena”, disse Young.

A neta de Cleo, Lucy, que também presenciou o ato de bravura do cão disse à emissora que quando Gus mergulhou elas perceberam que ele estava indo atrás de algo, mas no começo não ficou claro exatamente o que era. Lucy disse que ele foi muito gentil com a pequena lontra e trouxe ela direto para ela e a avó.

O filhotinho de lontra resgatado está recebendo cuidados médicos e passa bem — Foto: Reprodução CBS
O filhotinho de lontra resgatado está recebendo cuidados médicos e passa bem — Foto: Reprodução CBS

Segundo o The Guardian, a família levou a lontra para o Centro de Reabilitação de Vida Selvagem em Roseville, e de lá ela foi enviada para uma outra instalação para fazer um tratamento mais intenso.

Os funcionários do centro de reabilitação disseram que o pequeno animal provavelmente não teria sobrevivido fora da toca da sua mãe sem a intervenção de Gus. As lontras vivem em climas frios, mas constroem pequenas tocas na beira de rios usando galhos de árvores para se proteger da correnteza, de predadores e das águas geladas.

Por Sabrina Neumann

Fonte: Um Só Planeta

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.