Cachorro do Equador que estava preso no aeroporto de Madri deixa local após 19 dias em gaiola

Cachorro do Equador que estava preso no aeroporto de Madri deixa local após 19 dias em gaiola
Luno estava preso em Madri por não possui um microchip conforme exigido pelos regulamentos europeu. Reprodução/@PartidoPACMA

Luno, o cachorro poodle que teve a sua historia compartilhada pela Espanha, depois de ficar quase 3 semanas preso no no Aeroporto Adolfo Suárez, em Madri, por não ter um microchip, deixou o local nesta semana.

Luno estava preso desde 13 de março. O cachorrinho estava trancado em uma gaiola e só podia receber uma visita por dia de sua dona, Andrea Torres, por cerca de 10 minutos.

Ao jornal La Teja, Andrea disse que quando perguntou sobre os requisitos que Luno tinha que cumprir para chegar à Espanha, o Aeroporto lhe garantiu que ele só precisaria estar saudável e com a vacinação em dia.

Segundo o partido dos animais PACMA, Luno deixou o aeroporto de Madri, mas não foi encontrar sua tutora. O cachorro foi transferido para o Centro Integrado de Acolhimento Animal de Madrid (CIAAM) para cumprir uma quarentena inicial.

Para o partido, se as medidas cabíveis tivessem sido adotadas desde o início, a situação estaria encerrada. Além disso, o PACMA também condena a posição do diretor geral de Direito Animal, Sergio García Torres. “Recriminar neste momento o erro de Andrea de não saber que o microchip é obrigatório na Europa. Não ajuda em nada. Não feito desde o início e, com sua declaração de hoje, depois de 19 dias preso em uma gaiola, é muito doloroso. Esperava-se mais”.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Partido Animalista PACMA (@partidopacma)

Fonte: BNews

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.