Cachorro é abandonado com vários ferimentos embaixo da ponte Wall Ferraz, em Teresina

Cachorro é abandonado com vários ferimentos embaixo da ponte Wall Ferraz, em Teresina
Animal com ferimentos é abandonado em caixa, próximo ao rio Poti (Foto: Reprodução)

Um cachorro de raça pitbull, que recebeu o nome de Sandoval, foi resgatado na manhã desta sexta-feira (15), após ser abandonado dentro de uma caixa, bastante ferido, embaixo da Ponte Wall Ferraz, zona leste de Teresina, há cerca de três dias.

O resgate foi feito pelo defensor da causa animal, Fernando Machado, responsável pelo abrigo de animais, Lar do Nando. Segundo Fernando, o cachorro tem um ferimento enorme na pata, que já estava infectado e um trauma na cabeça.

“Possivelmente a pessoa deve ter abandonado ele lá, há dois ou três dias, pegou chuva dessa noite todinha e está bem debilitado. A ferida na perna já estava cheia de bicho”, disse o protetor

Nando contou ainda que uma pessoa que estava passando no local, percebeu a presença do animal na caixa, que estava enrolado em um saco de ração, e entrou em contato.

Cachorro abandonado, com ferimentos em caixa, está internado (Foto: Reprodução)
Cachorro abandonado, com ferimentos em caixa, está internado (Foto: Reprodução)

“A pessoa me mandou vídeos informando que esse animal estava nessa situação. Foi abandonado, machucado, dentro de uma caixa, enrolado com saco, um saco de ração, na beira do rio, por trás do Atacadão. De imediato a gente levou para o hospital veterinário de Teresina, que fica lá no Parque Piauí e ele se encontra internado”, contou.

Nando pede ajuda nas redes sociais para custear as despesas do tratamento do cachorro. “Estamos com vários animais internados precisando de doações, que pode ser de R$ 1,00, R$ 2,00. Qualquer valor, ajuda!”

Para colaborar com o Lar do Nando, o pix é o email [email protected].

Abandonar animais é crime previsto em Lei

A Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/1998) prevê punição para quem pratica abuso, maus-tratos, fere ou mutila animais e determina detenção de três meses a 1 ano e multa a quem praticar o ato em animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos ou realizar experiência dolorosa ou cruel em animal vivo e a punição é aumentada de um sexto a um terço se ocorrer morte do animal. Para quem cometer este crime, a pena de detenção, que era de até um ano, aumentou para cinco anos quando se tratar de cães e gatos. Recentemente, a punição para violência contra cães e gatos, aumentou de 2 a 5 anos de prisão.

Por Malu Barreto

Fonte: Clube News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.