Cachorro é adotado após ficar esperando tutor que morreu sair da UPA em Caratinga, MG

Cachorro é adotado após ficar esperando tutor que morreu sair da UPA em Caratinga, MG
Leãozinho ganhou um novo lar na zona rural de Caratinga — Foto: Reprodução/Inter TV dos Vales

Parecia cena de filme, mas era vida real. Um morador em situação de rua tinha um cachorrinho como seu companheiro. Constantemente, o homem ia à Unidade de Pronto Atendimento de Caratinga. Porém, um dia, ele não saiu mais.

No dia 23 de dezembro deste ano, um dia antes da véspera de Natal, o animal foi filmado deitado na porta da UPA, aguardando a saída do seu dono.

Vídeo: Cãozinho foi adotado por casal de idosos.

“Levanta daí menino, vem, cama… cama. Levanta! Que preguiça. Está com saudade do seu dono né? Chora não!”, disse uma mulher que fez o vídeo.

O homem havia dado entrada na unidade horas antes do cachorro ser flagrado no local. Miguel Bráz da Silva, de 37 anos, era morador em situação de rua e estava sempre nas imediações da UPA da rua Lamartine.

Os funcionários disseram que ele tinha o costume de ir até o local para beber água. Até que, um dia, ele chegou na unidade e teve uma crise convulsiva. Cerca de 12 horas depois, ele morreu.

“Sentiu-se mal, teve uma crise convulsiva, foi encaminhado para a sala de emergência, nós fizemos os procedimentos médicos nele e ele ficou em observação durante o dia conosco. No final da tarde, ele teve uma parada cardiorrespiratória, fizemos todos os procedimentos cabíveis, mas, infelizmente, ele foi a óbito”, explicou a enfermeira Aline Rezende.

O cachorro ficou na porta da UPA por algumas horas. Sensibilizados com a situação do animal, alguns funcionários da Unidade de Pronto Atendimento até pensaram em adotar o cãozinho que, a partir daquele momento, ficaria sem a proteção do antigo dono.

“Até rolou um pouco de competição aqui de nós funcionários, falando assim: ‘ah, eu vou levar pra mim’. Cada um querendo. Só que alguém já adotou o animal”, disse Aline. 

O novo lar do cachorro fica na zona rural de Caratinga. Ele foi adotado por um casal de idosos, com o consentimento dos familiares mais próximos do antigo tutor. Além de alimentação e abrigo, Leãozinho, como ele está sendo chamado, ganhou de volta muito amor e carinho.

“Desde quando ele chegou, a gente está tendo carinho, pondo a comidinha, água. No início ele não queria comer ração, mas agora já está comendo e muita”, disse a aposentada Maria das Graças Caetano.

Os idosos disseram que Leãozinho é um animal dócil e uma ótima companhia para eles e para um outro cachorro que já tinham na fazenda.

“Ele faz companhia e anima o outro [cachorro]”, falou Maria das Graças.

Um final feliz que parece cena de filme, mas é vida real.

Por Matheus Mesmer e Hérisder Matias

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.