Cachorro é amarrado a trilho de trem e morre degolado em São Carlos, SP

Cachorro é amarrado a trilho de trem e morre degolado em São Carlos, SP
Animal estava amarrado ao trilho que corta o Jardim Paulista (Foto: Genira de Souza/Arquivo pessoal)

Um cão morreu atropelado após ser amarrado à linha do trem que corta o Jardim Paulista, em São Carlos (SP), na tarde de domingo (29). Em quatro dias, é o segundo caso de violência contra animais registrado na cidade. Na quarta-feira (25), um cachorro foi arremessado de um prédio no Santa Felícia e morreu.

O animal foi encontrado preso à linha férrea por um professor que almoçava com a família em uma residência próxima ao local.

Mãe do docente, a secretária Maria Inês Mariano contou que, a princípio, o filho achou que se tratava da cachorra de estimação da família e eles se aproximaram para verificar.

Com a proximidade, eles perceberam que o animal estava sem a cabeça e com o corpo preso aos trilhos por uma enforcadeira. Segundo ela, não havia sinais de espancamento e a pelagem do cão estava bem cuidada.

Cachorro é amarrado a trilho de trem e morre atropelado em São Carlos, SP
A imagem do animal, que teve a cabeça separada do corpo, circula na internet e gerou revolta. (Foto: Divulgação)

“Eles [os animais] têm um amor muito grande pela gente, confiam demais. Imaginei que esse cachorro acreditava que estava indo passear”, disse Maria Inês, completando que a crueldade chocou a todos.

O corpo do animal foi enterrado pelo professor com a ajuda de um vizinho e a família decidiu não registrar boletim de ocorrência por acreditar ser difícil encontrar suspeitos, uma vez que a área está cercada por mato e não há câmeras de segurança.

Cão arremessado de prédio

Na quarta-feira (25), um cachorro morreu ao ser arremessado do alto de um edifício abandonado na Rua Antônio Carlos Ferraz de Salles.

Imagens captadas por câmeras de segurança das casas ao redor mostram o momento da queda do animal (no vídeo acima, imagens fortes).

Os vizinhos relataram que o cão vivia na rua e caiu poucos minutos depois de entrar no prédio, que, segundo eles, é ocupado por usuários de drogas.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.