Pipoca, 13 anos, morreu atropelado na última semana(Foto: arquivo pessoal)

Cachorro é atropelado intencionalmente em Cruzeiro do Sul, AC; vídeo

No último sábado, 25 de maio, uma moradora de Cruzeiro do Sul (AC), denunciou, em suas redes sociais, o atropelamento intencional de seu animal de estimação, Pipoca – um Poodle de 13 anos.

Segundo as informações do portal Juruá em Tempo e as imagens das câmeras de monitoramento do local, a intenção de atropelar fica clara quando o condutor o persegue o cachorro, atropela-o e segue o trajeto sem prestar socorro.

Veja o momento do ocorrido:

Em depoimento à reportagem, Suelen Teles fala sobre seu companheiro:

— Ele era dócil e não representava perigo algum aos vizinhos. Saía, fazia o que tinha que fazer e voltava. Se o portão estivesse fechado ele chamava para abrirmos — lamenta.

Agora Suelen busca justiça e espera que o criminoso seja punido de acordo com as leis.

Confira a publicação de Suelen em rede social:

“Há 13 anos ganhei um cãopanheiro. Um poodle de 3 meses que estava tão assaranhado que parecia pipoca (eis o motivo pelo qual recebeu seu nome: PIPOCA). Morava com meus pais e o Pipoca sempre fugia pelas grades para namorar. Sumia. Ficava dias fora de casa. Voltava magro, todo machucado, mas feliz. Era o cão coragem.

Enfrentava qualquer bicho, independente do tamanho. Partia para briga para defender os seus. Casei. Na época não tínhamos como levá-lo conosco, então ele continuou com meus pais. Ajustamos as coisas (estrutura física) em casa e trouxemos o nosso cãopanheiro pra junto de nós. Isso nos causou uma angústia pq nossa casa não tinha grades, o muro totalmente fechado, Pipoca acostumado a viver na rua por conta das fugas… pensamos que ele não se adaptaria ao novo lar. Para nossa surpresa ele amou a casa nova. Era o dono do pedaço. Tinha seu cantinho, a casa só para ele, seu salão semanal, os cuidados devidos, mas de uma coisa ele não abria mão: sua voltinha pelo bairro. Acredito que todos os moradores do nosso bairro conheciam o Pipoca. Aquele que não podia ver o portão aberto que saía para dar uma voltinha e fazer suas necessidades fisiológicas (pq ele não fazia dentro de casa… só se estivesse nas últimas mesmo). Saía, fazia o que tinha que fazer e voltava. Se o portão estivesse fechado ele chamava para abrirmos. Era de uma inteligência incomum.

Hoje, 25 de maio, às 7h45min14seg, um ser DESumano tirou o pipoca de mim da forma mais cruel que vocês possam imaginar. Tinha uns 3 minutos que ele tinha saído. Nas gravações da câmera vemos o animal dirigindo uma caminhonete perseguindo o Pipoca lentamente e passando o carro por cima. Ele nem gritou… não teve tempo pra isso. O carro acelera e vai embora. O animal (cujo nome não posso citar, embora vontade não me falte) matou meu cãopanheiro na frente da nossa casa, com o portão totalmente aberto e não teve a consideração de parar, de nos comunicar… não sentiu remorso algum. Meu coração está em pedaços. A gente entra em casa e não tem mais ninguém para nos receber com toda alegria e vivacidade. A gente abre a porta de casa e ninguém mais vem brincar. A gente senta na cadeira e ninguém mais vem aos nosso pés em busca de carinho (pq ele era o ser mais carente do mundo). Não tive tempo de me despedir. Não falei com ele hoje pq dormi até mais tarde. Quando o vi ele já estava na rua, sem vida, envolto em muito sangue. Não ouvimos nenhum som dele, nenhuma tentativa de freada, e estávamos na sala com a porta e portões totalmente abertos. Um ser maquiavélico, de má índole, perverso e sem sentimento algum resolveu matar intencionalmente um serzinho que só nos trazia alegria… uma parte de nós se foi…

Sua falta será muito sentida!! Às vezes as pessoas não entendem o amor que se tem por um cãopanheiro, mas saibam que essa é uma dor verdadeira, honesta, sem explicação. No meu coração e na nossa casa existe agora um grande vazio.

Que fiquem as memórias de um cãopanheiro Alegre, carente, valente, livre, inteligente, obediente, compreensivo, divertido, encrenqueiro, defensor e feliz ♥♥.

Descanse em paz, meu velhinho!!”

Fonte: NSC Total

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.