Cachorro é baleado em troca de tiros no Rio de Janeiro e terá que amputar a pata

Cachorro é baleado em troca de tiros no Rio de Janeiro  e terá que amputar a pata

Animal foi baleado no Jacarezinho, na Zona Norte da cidade. Cão tem cerca de 1 ano e meio e foi atingido na altura da escápula.

Por Mariucha Machado

Um cachorro foi baleado no Jacarezinho, comunidade da Zona Norte do Rio, durante uma troca de tiros na terça-feira (14). Um morador da região entregou o cão à Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa). Segundo a presidente da instituição, Isabel Cristina Nascimento, o animal, que tem aproximadamente um ano e meio, foi atingido na altura da escápula e passará por uma cirurgia na sexta-feira (17).

“O veterinário disse que não tem como reconstituir a pata dele, então amanhã ele vai passar por uma cirurgia para amputar a pata esquerda. Hoje ele vai ficar de jejum e amanhã terá que receber sangue na cirurgia”, contou Isabel Cristina.

O veterinário contou ao G1 que o animal corre risco de vida. “Ele corre risco sim, além da fratura exposta, o resultado do exame de sangue apresentou uma anemia. Hoje [quinta-feira] vou coletar uma bolsa de sangue para que ele receba a transfusão durante a cirurgia amanhã [sexta-feira]”, disse João Gustavo Wassita Nogueira, coordenador Veterinário da Suipa.

Confronto afeta os trens

Devido a um tiroteio nas imediações da estação Jacarezinho, os trens do ramal Belford Roxo circulavam apenas entre as estações Del Castilho e Belford Roxo às 7h05 desta quinta-feira (16). No horário, não havia partidas da Central da Brasil.

Segundo a Supervia, os passageiros estavam sendo avisados da situação por meio do sistema de áudio dos trens e estações. Quem desejar seguir para a Central do Brasil pode utilizar a linha Honório Gurgel – Deodoro e realizar atransferência para os ramais Santa Cruz, Japeri e Deodoro. 

RJ Jacarezinho tiros cachorro amputar pata1

Assista o video clicando aqui.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.