Cachorro foi espancado e perdeu um olho, em Cajati — Foto: Divulgação

Cachorro perde olho após ser agredido pela própria tutora e busca novo lar em SP

Um cachorro ficou cego depois de ser brutalmente espancado em Cajati, no interior de São Paulo. Durante a agressão, o animal conseguiu escapar do local e acabou socorrido. Cheio de carrapatos, com anemia, hematomas e sem um dos olhos, ele está recebendo tratamento e deve ser colocado para a adoção. Segundo a polícia, a própria tutora é a principal suspeita de ter cometido o crime.

De acordo com informações apuradas pelo G1, a agressão ocorreu na última terça-feira (20). A tutora do cachorro teria se irritado com o animal e desferido golpes com uma enxada. Durante as agressões, o cachorro fugiu e foi para a casa da vizinha. Ela acolheu o animal e acionou a Vigilância Sanitária, que o levou até a Clínica Galera Animal.

Segundo testemunhas, o animal chegou magro, com carrapatos, hematomas na testa e sem um dos olhos. “Ele teve um traumatismo na região do globo ocular. Perdeu um olho e teve um corte na região da face. O que me deixou muito espantada foi a quantidade de carrapatos. A possibilidade de ele estar com uma doença era grande e ele também estava com anemia”, explicou a veterinária Larissa Galera, que atendeu o animal.

O cachorro foi submetido a uma cirurgia na região do olho na última sexta-feira (23). A veterinária removeu o globo ocular, que estava rompido, e fechou o local. “Fizemos o tratamento preventivo, demos remédios e a medicação no pós-operatório. Também castramos para facilitar na adoção”, complementou.

Uma assistente administrativa e protetora de animais, que conversou com o G1 mas prefere não se identificar, conta que ficou sabendo do caso por conta da revolta de moradores. Ela registrou uma denúncia na Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA), por meio da Secretaria de Segurança Pública, e também um boletim de ocorrência na Delegacia de Cajati, nesta segunda-feira (26).

“Ela (tutora do cachorro) falou que usa medicação controlada. Já falaram que ela prende cachorro, bate em gato. O cachorro, o gato, qualquer animal, ele não tem um advogado. Sem eu conhecer a história, eu me envolvi. A região aqui é muito fraca em conscientização. As pessoas não sabem o que fazer e não denunciam”, lamenta a protetora de animais.

Após a cirurgia, no último domingo (25), o cachorro foi encaminhado a ONG Grupo de Proteção Animal (GPA), que fica em Registro, cidade vizinha de Cajati, e que atende cerca de 250 animais. Lá, ele continua recebendo tratamento.

“Ele é muito alegre e está se recuperando bem. Vamos abrigar ele, estamos dando a medicação, toda a alimentação e remédio de qualidade. Quando ele estiver pronto, ele entra para a adoção. Quando tem casos graves assim, a gente procura ajudar. Infelizmente, isso acontece. A gente espera que haja a Justiça”, afirma Márcia Colla, presidente da ONG.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirma que a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA) recebeu a denúncia no dia 21 de novembro e encaminhou a ocorrência para registro na Delegacia de Cajati. O tutor do animal foi identificado e intimado a prestar depoimento.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.