Cachorro quase morre após ter pelos pintados com tintura de uso humano

Cachorro quase morre após ter pelos pintados com tintura de uso humano

Uma cadela chamada Violet foi resgatada entre a vida e a morte por um grupo de ativistas em Pinellas County, na Flórida (EUA).

O animal foi encontrado magro, apático e com a pelagem tingida de roxo. Seus olhos estavam inchados e ela apresentava marcas de queimaduras na pele, possivelmente uma reação à tintura de uso humano utilizada. O caso foi detalhado pelo grupo, Pinellas County Animal Services (PCAS), em sua página oficial no Facebook, segundo informações da LiveScience.

Violet primeiramente foi tratada com fluidos e medicação para dor. Depois, os ativistas lavaram o que puderam da tinta que estava em seus pelos. Mas, por não conseguirem removê-la completamente, submeteram o animal à anestesia e, em seguida, o tosaram.

No entanto, à medida que cortaram os pelos, viram que a pele da cachorra estava saindo. “Foi muito pior do que imaginávamos”, afirmaram eles no post.

Segundo o PCAS, as tintas para uso humano contêm substâncias químicas tóxicas e, portanto, nunca devem ser utilizadas em cães ou outros animais de estimação. Tais químicos (que podem incluir água oxigenada e agentes oxidantes) podem causar uma série de lesões externas nos animais, incluindo queimaduras e cegueira. Além disso, se eles lamberem a pele, é possível que sofram queimaduras internas ou envenenamento.

“Use apenas produtos especificamente desenvolvidos para animais de estimação, ou você poderá colocar a vida de seu pet em risco“, advertiram.

Violet precisou de três meses de tratamento, que incluíram a administração de antibióticos, fluidos intravenosos, tratamentos à base de mel, remoção de cicatrizes e muitas trocas de curativos, para voltar a andar e latir. Contudo, a equipe ainda está preocupada de que ela possa sofrer novas complicações, como cegueira ou infecção permanente.

De acordo com a PCAS, ela foi adotada por um especialista em embelezamento animal.

Fonte: Live Science


Nota do Olhar Animal: A notícia original é do início de 2018, mas achamos interessante publicar porque é sobre um problema recorrente. Se não com cães, é bem comum colorirem pintinhos para vender ou distribuir como ‘brinde’ (outra prática odiosa). Animais não são brinquedos, não são objetos para ficarem sendo ‘decorados’.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.