Cachorro que matou a tutora é adotado após passar por testes com adestrador

Cachorro que matou a tutora é adotado após passar por testes com adestrador

Mestiço de pitbull foi castrado e avaliado por veterinários.

RS novohamburgo pitbulladotado

O cachorro que matou a tutora, a publicitária Joanna Keller, 38 anos, quando ela foi atacada por suposto assaltante, será encaminhado para um novo lar.

Os donos de Lost assinaram um documento autorizando o Canil Municipal de Novo Hamburgo a liberar a adoção. Encaminhado para o local no início da semana, o mestiço de pitbull foi castrado e avaliado por veterinários.

A escolha do novo tutor foi feita junto a um adestrador, que fez testes com o cachorro e não constatou sinais de agressividade. “Após a avaliação, percebemos que o adotante tem perfil para ter a guarda de um animal nessa condição”, informou a veterinária do Canil, Karen Souza. O novo tutor prefere não se identificar.

Investigação

Agentes da 1ª Delegacia de Polícia do Município analisam imagens de câmeras de monitoramento para identificar os motoqueiros que atacaram a publicitária na frente do prédio dela, na Avenida 1º de Março, bairro Pátria Nova, enquanto passeava com o cão.

Um dos homens empurrou a vítima e fugiu. Caída, Joana foi mordida no pescoço e sacudida pelo pitbull, e acabou morrendo em decorrência dos ferimentos.

Fonte: Diário de Canoas 

Nota do Olhar Animal: Recentemente noticiamos uma situação envolvendo ataque de cães em Rio das Ostras, no RJ, em que os animais foram resgatados e levados para um processo de ressocialização para, posteriormente, serem encaminhados para adoção. Neste outro caso, que tragicamente resultou na morte de uma mulher, novamente o cão é tratado de maneira justa, como uma das vítimas e não como o vilão. A óbvia não culpabilidade do cão não é enxergada por alguns em situações similares, cegos pela patológica sede de vingança, distantes de qualquer noção de justiça. Dois casos ainda incomuns, mas que dão esperanças sobre o surgimento de um novo olhar humano para os animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.