Cachorros continuam sendo mortos de forma criminosa em Marilândia do Sul, PR

Cachorros continuam sendo mortos de forma criminosa em Marilândia do Sul, PR

“Teve uma cachorrinha que a língua derreteu inteira. Ela estava viva e a língua estava derretendo. Ela não conseguia comer mais. Essa foi a primeira que morreu. Depois foram morrendo mais”.

Esse é o relato de Sérgio Gapeano, marilandense que acolhe cachorros abandonados na região do Conquista. Ao jornalista Izaias Lopes, do Mundo Smart News, ele contou o drama que vive juntamente com a esposa por causa das mortes criminosas de animais na região.

“Certa vez teve uma cachorra que apareceu na frente do meu portão com uma faca fincada no corpo. Daí nós tiramos a faca dela e agora ela está boa. Também teve outro cachorro que deram uma facada no peito dele. Aí foi feita uma cirurgia porque ele estava quase morrendo, pois o corte era muito grande, bem próximo ao coração. Hoje esse também está melhorzinho”, conta o morador.

De acordo com ele, depois que a reportagem publicou a matéria “Padre Luizinho faz denúncia de maus-tratos aos animais em Marilândia do Sul”, mais cães apareceram mortos na região do Conquista. A suspeita é de que foram envenenados.

“Depois daquele dia ocorreram mais mortes. Morreram mais dois cachorros nossos, um de uma vizinha e dois da vizinha debaixo”.

Gapeano conta que quando os cachorros começaram a morrer, eles estavam com aproximadamente 15 cães; atualmente eles estão com sete.

“Agente tem o trabalho de recolher cachorro da rua. Com a gente os cachorros estavam bem cuidados, só que daí passaram a dar veneno para eles e eles começaram a morrer. Tem mais dois que estão quase morrendo aqui em casa por conta disso”, revela.

De acordo com Sérgio Gapeano, o caso já foi levado à delegacia. Tanto ele quanto a esposa, amigos e vizinhos esperam justiça.

Por Izaias Lopes

Fonte: Smartnews

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.