Cachorros forçados a ter filhotes finalmente saem para correr e brincar

Cachorros forçados a ter filhotes finalmente saem para correr e brincar

Por Jessi Stafford / Tradução de Pâmela Miler

Os menores estavam em gaiolas quando as equipes de resgate os encontraram. Três cães maiores estavam correndo do lado de fora. Dois menos sortudos não podiam fazer isso.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes

Quando a Animal Rescue Corps (ARC), uma organização nacional de proteção animal sem fins lucrativos, enviou uma equipe ao condado de Gibson, Tennessee, nos Estados Unidos, eles foram recebidos nessas condições ao chegarem.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes2

Duas horas a oeste de Nashville, um criadouro mantinha 48 cães em sua propriedade para vendê-los. Sendo principalmente de raças pequenas, como chihuahuas, boston terriers e shih-tzus, as mães eram constantemente forçadas a dar crias até não poderem mais.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes3

Alguns dos animais eram apenas filhotes, com poucos dias de nascidos e ainda mamando, de acordo com o ARC. Eles eram mantidos em gaiolas de arame, como se estivessem armazenados, encharcados em sua própria urina e fezes e incapazes de sair.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes4

“Estes cães têm estado trancados em uma jaula suas vidas inteiras e sido forçados a ter ninhadas uma após a outra”, Scotlund Haisley, Presidente da ARC, disse em uma declaração. “Eles nunca souberam o que é ser um cão. A maioria deles nunca sentiu o chão sob seus pés ou um toque gentil”.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes5

Dois dos filhotes amontoados em uma gaiola tinham que compartilhar sua gaiola imunda com outro cão que havia morrido, de acordo com o ARC. O proprietário do imóvel simplesmente olhou para o outro lado.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes6

Muitos dos cães e filhotes estavam sem alimento por tempo indeterminado e estavam visivelmente sem acesso a comida ou água quando os resgatistas chegaram. Alguns eram mantidos diretamente ao sol sem sombra.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes7

Agora, os 48 filhotes sobreviventes podem aprender a ser cães, esticar as pernas e, esperançosamente, encontrar famílias que possam dar-lhes um lugar confortável na cama. Mas primeiro, eles precisam ficar bem.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes8

A operação de resgate, apelidada de Operação Summer Saves, está cuidando de cada um dos cães em um abrigo de emergência a 40 minutos de Nashville, onde passarão por exames médicos, tomarão banho e, mais importante, poderão relaxar.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes9

“Crueldade e abuso, seja infligido a uma pessoa ou animal, não serão tolerados neste condado”, disse Paul Thomas, xerife do condado de Gibson, em um comunicado. “Estamos, mais uma vez, gratos ao Animal Rescue Corps por ser um meio para a nossa comunidade lidar com esses casos de grande escala de abuso”.

O proprietário do imóvel está recebendo 50 acusações de crueldade contra os animais, de acordo com uma declaração da ARC.

Enquanto isso, no condado de Morgan, Tennessee, EUA, outra operação de resgate semelhante, a Dire Straits, está em andamento.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes11

Os resgatistas salvaram 32 animais – incluindo 20 cães, quatro burros em miniatura, dois pôneis, um porco barrigudo, três galos e uma galinha – das condições negligentes e perigosas em que viviam.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes12

Um filhote de cachorro fraco e desnutrido, a quem os socorristas chamaram de Bonaparte, estava particularmente mal após ter sido encontrado inconsciente. A ARC está angariando fundos para continuar cuidando de Bonaparte, inclusive uma mandíbula fraturada.

EUA Tennessee cachorros forcados filhotes13

O proprietário do imóvel no condado de Morgan recebeu 18 acusações de crueldade contra animais, de acordo com o ARC.

Para atualizações sobre como promover ou adotar os animais da Operação Summer Saves ou Operação Dire Straits, siga a ARC no Facebook.

Fonte: The Dodo

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.