Cadáveres de rinocerontes são encontrados em parque na África do Sul

Cadáveres de rinocerontes são encontrados em parque na África do Sul

Pelo menos 16 cadáveres de rinocerontes foram encontrados em várias áreas do Parque Nacional Kruger da África do Sul, desde o início deste mês até ontem.
De acordo com o especialista em crime ambiental, o sul-africano Frik Rossouw, em declarações aos jornalistas, três destes animais foram encontrados com os chifres intactos.

Dados recentemente divulgados pelo ministro sul-africano dos Assuntos Ambientais, Edna Molewa, no ano passado foram encontrados 662 restos de rinocerontes no Parque Nacional Kruger, um decréscimo de 19,85 por cento em relação a 2015. No mesmo período foram apreendidas 148 armas de fogo.

“O declínio na taxa de casos pode ser atribuído aos esforços dos nossos homens e mulheres do campo, especialmente os ‘rangers’”, disse o ministro, em comunicado. “Os grupos criminosos estão fortemente armados, bem financiados e fazem parte de organizações internacionais”, acrescentou.

O número de mamíferos caçados na África do Sul caiu para 10 por cento em 2016, em comparação com 2015, quando foram registados 54 mil espécimes mortos.

A caça furtiva apresenta uma tendência ascendente desde 2008, quando foram registados 83 mortes de animais selvagens, até ao incrível recorde de 1.215 em 2014,  que foi atribuído à enorme procura de chifres em vários países asiáticos, onde este artefacto animal é altamente valorizado na medicina tradicional.

Na África do Sul vive 80 por cento da população global de elefantes, 18 mil rinocerontes brancos e cerca de dois mil rinocerontes pretos, pelo que o país atrai um número elevado de caçadores furtivos.

O mundialmente famoso Parque Nacional Kruger cobre uma área total de 18 mil quilómetros quadrados.

Fonte: Jornal de Angola / mantida a grafia original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.