Cadela com focinho decepado em Serrana, SP, passa por cirurgia de reconstrução

Cadela com focinho decepado em Serrana, SP, passa por cirurgia de reconstrução
Cachorra que teve focinho decepado em Serrana (SP) se alimenta por sonda — Foto: Acervo pessoal

A cachorra da raça mini poodle que teve o focinho decepado após ser atacada em Serrana (SP) apresenta estado de saúde estável, mas deve precisar de cuidados permanentes, segundo a médica veterinária Marina Mantovani.

“É um animalzinho que vai ficar debilitado e precisar de cuidados para o resto da vida. Ela está sendo alimentada por sonda e pode ser que fique com sequelas”, diz.

De acordo com Marina, a cadela Belinha passou por uma cirurgia plástica na última segunda-feira (7) e segue acompanhada por uma equipe de veterinários. A expectativa é de que a recuperação dure até 15 dias.

Belinha foi vítima de um ataque na noite de domingo (6), enquanto estava na garagem da casa onde vive quando teve o focinho arrancado.

Até a publicação desta reportagem, a polícia não havia identificado o autor do crime.

Violência

De acordo com a protetora de animais Rosemeire Storari, que ajudou nos socorros e tem mobilizado uma campanha de arrecadação para arcar com os custos veterinários de Belinha, os donos do animal não presenciaram o momento do ataque.

Segundo Rosemeire, a dona de Belinha, que não quis se identificar, contou que estava na cozinha lavando a louça quando ouviu a cadela gritar. A mulher disse que um homem estava no portão da casa da família segundos antes de a cachorra começar a latir com intensidade.

Ela e o marido foram à garagem para ver o que tinha acontecido e viram o animal sangrando, com o focinho arrancado.

“O portão da família é de grade. A cachorra deve ter posto a cabeça para a fora e aí a pessoa passou um facão, porque o pedaço do focinho dela estava na calçada”, afirma Rosemeire.

Risco de complicações

Tida pela veterinária como uma cachorra extremamente dócil, Belinha chegou até a Associação Vida Animal (AVA) em Ribeirão Preto com um quadro de perda de sangue preocupante.

A médica veterinária Marina Mantovani afirma que, apesar do quadro, o animal não precisou passar por transfusão de sangue e tem apresentado resultados positivos na recuperação.

“Ela está estável, não teve febre. O exame de sangue, por incrível que pareça, não deu anemia. Ela está sendo alimentada, sem dor. Então, aparentemente, ela está bem”, explica.

Embora a expectativa seja positiva, a especialista destaca que há riscos de complicações devido à gravidade dos ferimentos. Sem a parte superior do focinho, dificuldades respiratórias não estão descartadas.

“Tem algumas complicações que podem acontecer, como deiscência [abertura] de pontos, infecção e estenose de narina. A complicação que mais preocupa é a estenose de narina, porque a narina pode fechar e ela não conseguiria respirar e teria que passar por um novo procedimento”, explica.

Belinha foi acolhida por uma protetora de Ribeirão Preto, que se prontificou a oferecer os cuidados necessários.

O animal deve permanecer sob os cuidados dela por tempo indeterminado.

Por Larissa Vieira, sob supervisão de Vinícius Alves

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.