Cadela é resgatada após ficar 16 h presa em buraco em Porto Alegre, RS

Cadela é resgatada após ficar 16 h presa em buraco em Porto Alegre, RS

Equipe do DEP precisou quebrar pedras da calçada para retirar o animal. Batizada de ‘Bel’, ela foi adotada pelo órgão municipal e recebe cuidados.

Por Felipe Truda

RS PortoAlegre cadela resgatada1

Após ficar 16 horas presa em um buraco, uma filhote de cadela foi resgatada na manhã desta terça-feira (15) por uma equipe da Prefeitura de Porto Alegre no bairro Partenon, na Zona Leste da capital gaúcha. Funcionários do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) tiveram de quebrar algumas pedras para que um deles entrasse no buraco e resgatasse a cachorrinha, que foi adotada pelo órgão municipal e batizada como “Bel”.

“Tiveram de quebrar toda a calçada, e o rapaz teve que entrar no buraco para pega-la”, relata a dona de casa Sandra Maria Pinto, de 60 anos.

RS PortoAlegre cadela resgatada2

Sandra conta que a cadela caiu no buraco na calçada da na Avenida Outeiro ainda na segunda-feira (14), por volta das 17h, quando algumas crianças brincavam com ela. A dona de casa telefonou para Brigada Militar, Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) e DEP, até ouvir que a ocorrência seria de responsabilidade do Corpo de Bombeiros.

A corporação, no entanto, estava envolvida com o incêndio de grandes proporções que atingiu o Morro da Apamecor, e solicitou o apoio do DEP. “O próprio sargento ligou para eles”, conta.

Em meio aos pedidos de ajuda, Sandra ainda impediu uma das crianças que brincavam com a cadela de tentar resgata-la. “Um gurizinho tentou entrar no buraco e eu disse para ele não entrar. Deus o livre se ele entra. Teria caído de cabeça, porque era muito profundo”, conta.

A ajuda, no entanto, chegou apenas na manhã seguinte, depois de uma noite de aflição para Sandra. “Fiquei chocada por causa do bichinho chorando a noite inteira”, lembra.

A equipe do DEP chegou entre 9h e 10h até o local. Instantes após o resgate, André Pereira da Silva, David Luis Rosa Abreu e Silva, Luis Carlos dos Santos e Julio Cristiano Silva de Braz decidiram chamar o animal de “Boca do Lobo”, com as iniciais BL. Isso até perceberem que se tratava de uma fêmea.

“Eles não iam dar esse nome feio para a cachorrinha. Aí só acrescentaram uma vogal, e ficou ‘Bel'”, contou Sandra.

Bel foi levada à sede da Seção Leste de Conservação do DEP, onde recebe cuidados. Funcionários do departamento doaram roupinhas e uma casinha, mas, por enquanto, ela é mantida dentro da sala de administração. A prefeitura informou que fornecerá as vacinas e o tratamento veterinário vitalício para o animal.

Sandra não sabe ao certo quem eram os donos da cadela, mas acredita que o acidente acabou melhorando a vida do animal. “Ela está melhor cuidada lá”, diz.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.