Cadela é resgatada de forma emocionante após ficar dois dias presa em pedreira: ‘Milagre’

Cadela é resgatada de forma emocionante após ficar dois dias presa em pedreira: ‘Milagre’
Foto: Reprodução/ TV Globo

Alpinistas foram responsáveis por um resgate emocionante no início desta semana na comunidade Tavares Bastos, situada no Catete, no Rio de Janeiro. Uma cachorrinha ficou presa por dois dias entre pedras e só foi salva graças a intervenção de duas equipes.

As primeiras movimentações em prol do salvamento da cadela foram feitas por um morador, que reside próximo à pedreira. Tendo ouvido o choro do animal, ele gravou o vídeo e divulgou nas redes sociais.

Diante disso, houve uma intensa mobilização entre vizinhos para resgatar o animal. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e chegou a fazer varredura no local, mas não localizaram a cachorrinha.

Envoltos na causa de salvamento do animal, os vizinhos do condomínio resolveram chamar um profissional do alpinismo. Se solidarizando com a história, Alan Muller fez um estudo do local, e na manhã da última quinta-feira (18), acompanhado de outro alpinista iniciou a operação para resgatar a cachorra.

Depois de buscas intensas, a dupla encontrou o animal, mas viram que não iriam conseguir removê-lo entre as pedras sozinho, e ligaram para o Corpo de Bombeiros. Após orientações dos agentes, o salvamento foi realizado. Segundo Alan, se eles demorassem mais um pouco, eles poderiam encontrar a cachorrinha sem vida.

Socorro

Após o resgate, a cadelinha foi levada para uma clínica veterinária no Catete, e vem sendo tratada desde então pela médica Solara. Em entrevista ao portal “g1” ela detalhou a evolução do animal, que já tem candidatos à adoção, e ganhou um nome: Pedrita Vitória.

“Ela passou a noite muito bem, com os parâmetros todos estáveis. Um milagre, na verdade. Os exames de sangue estão maravilhosos. Ela já se alimentou, bebeu água e está com parâmetros de um cachorro saudável”, disse a médica veterinária.

Por Cido Vieira

Fonte: 1News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.