Cadela passa a noite trancada em agência bancária em cidade de MT

Cadela passa a noite trancada em agência bancária em cidade de MT
Turistas jogaram água por debaixo da porta para animal, que estava com sede (Foto: Rafael Moraes/ Arquivo pessoal)

Uma cadela ficou presa em uma agência bancária localizada no Centro de Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, no sábado (11), após o fechamento das portas, e só saiu na manhã de domingo (12). A cena foi testemunhada por turistas que visitavam a cidade no fim de semana. O G1 entrou em contato com a assessoria do Banco do Brasil, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

As portas se fecham automaticamente às 22h e só são abertas novamente às 6h, como explicou o engenheiro agrônomo Rafael Moraes, que tentou ajudar o animal. A cadela, que tinha entrado no local para se esconder do frio, passou a noite dentro da agência.

Rafael passava o fim de semana na cidade com a namorada. Eles viram a cadela presa quando passavam de carro pelas ruas no entorno da praça central. “O alarme tocava sem parar. Nós chamamos a polícia, mas, segundo os policiais, somente a central do banco poderia destravar a porta”, contou.

De acordo com ele, a cadela estava chorando e com muita sede. “Começamos a jogar água por baixo da porta, mas e se fosse uma pessoa? Como ninguém tem autonomia para abrir essa porta?”, questionou o engenheiro.

Conforme Rafael, o morador de uma casa ao lado do banco contou a ele que a cadela mora na rua e que já havia se escondido na agência anteriormente, depois de entrar em trabalho de parto.

Engenheiro passeava de carro com a namorada quando viu a cadela presa (Foto: Paula Domingues/ Arquivo pessoal)

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: A cadela entrou na agência para se esconder do frio? Em Cuiabá? Certamente que não. O provável que que exatamente tenha buscado o refrescante ambiente climatizado das agências para amenizar o calor na escaldante capital mato-grossense. Aliás, uma boa medida para colaborar com estes animais é manter potes com água fresca para eles.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.