Cadela resgatada das ruas luta contra um câncer em Guarujá, SP

Cadela resgatada das ruas luta contra um câncer em Guarujá, SP
Cadela Peixinha luta contra um câncer canino em Guarujá, SP — Foto: Divulgação/Canil Municipal de Guarujá

Uma cadelinha resgatada das ruas está lutando contra um câncer após o nascimento de seus filhotes, em Guarujá, no litoral paulista. Segundo a coordenadora do canil onde ela está, a doença foi descoberta no dia 15 de março, após os veterinários perceberem um sangramento.

O Canil Municipal de Guarujá recebeu a cachorrinha, apelidada de ‘Peixinha’, de aproximadamente três anos, no dia 12 de fevereiro, após ser resgatada de uma pessoa usuária de drogas. A cadela estava bem debilitada, cheia de feridas, além de estar com dez filhotes, dos quais apenas quatro sobreviveram.

Ao G1, Viviane Vargas, coordenadora do canil, contou que, mesmo com mais de um mês no canil, só na última semana o câncer foi diagnosticado. “Ela conseguiu amamentar os filhotes, e quando conseguimos a doação dos últimos dois, no dia 15, ela começou sangrar pela vagina. Ela resistiu até amamentar eles”, conta.

De acordo com Viviane, além de amamentar seus quatro filhotes, Peixinha ainda deu leite a outros dois cachorrinhos do canil. Ela já iniciou a quimioterapia, e tem reagido bem ao tratamento, mas o canil não possui o medicamento para tratar dela. “O remédio para o tratamento, o Vincristina, o Canil Municipal não tem, então, a gente precisa de ajuda para tratar dela. Não aceitamos dinheiro, só aceitamos o próprio medicamento”, afirma.

Segundo a coordenadora, após ser tratada, Peixinha, que é uma cadelinha meiga e guerreira, como define, ficará disponível para adoção, para encontrar uma família.

A veterinária Clarisse Ferreira explica que o tumor venéreo transmissível canino, chamado de TVT canino, é uma doença transmissível, que acaba passando quando os cães estão cruzando, ou então, quando cheiram as partes íntimas. “Com o não tratamento desta doença, começa a crescer uma má formação na região íntima do animal, e começa a dar ardor para urinar, pingar muito sangue, e vai dominando parte do útero. No macho, acaba ficando bem inchado o pênis, podendo dar outras doenças”, afirma.

Os interessados em ajudar com o medicamento podem leva-lo até o local, ou ligar para o canil pelo telefone (13) 3387-7197 para sua retirada. Já quem tiver interesse em adotar Peixinha deve comparecer ao canil, que fica na Avenida Maria Lídia Rêgo Lima, 301, no bairro Jardim Conceiçãozinha, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h ou das 13h às 17h , onde passará por entrevista. É preciso ser maior de 18 anos e ter em mãos documento oficial com foto (RG ou carteira de habilitação) e o comprovante de residência.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.