Cadela tem dentes quebrados com pá de aço e tutor é preso em flagrante em Picos, PI

Cadela tem dentes quebrados com pá de aço e tutor é preso em flagrante em Picos, PI

Uma cadela mestiça teve parte dos dentes quebrados com uma pá de aço e seu tutor foi preso em flagrante suspeito da agressão na cidade de Picos (a 306 km de Teresina). 

A cadela foi encontrada amarrada com todos os dentes inferiores quebrados e parte dos superiores danificados. Ao ser preso, o tutor – que é um trabalhador rural de 50 anos – disse que num ato de fúria queria punir o animal por ele ter matada uma galinha. O animal foi levado para uma clínica veterinária e passou por atendimento. Uma família comovida com a história da cadela pediu para adotar o animal.

“Recebemos uma denúncia com vídeo mostrando o animal aos gritos. Pensávamos que ele estava morto e ao chegar lá a cadela estava em situação grave de maus-tratos. O dono disse que tinha chegado estressado, a cadela tinha comido uma galinha e agrediu a boca do animal como punição”, disse uma das voluntárias da Apapi (Amigos Protetores dos Animais de Picos) que pediu para não ser identificada, devido as ameaças que recebe por lutar em defesa dos animais. 

O crime ocorreu na localidade Morro de Areia, no bairro Ipueiras, em Picos. O tutor foi enquadrado na Lei Sansão que determina prisão de dois a cinco anos quem pratica maus-tratos a animais. 

A prisão do tutor foi feita pela Polícia Militar e encaminhado a Central de Flagrantes. 

“Ele queria punir o animal o que é uma cultura retrógrada do interior. Quando estamos no local fazemos também um trabalho de conscientização mostrar que é crime, que o animal sente dor e que não pode ter maus-tratos”.

 A voluntária contou ainda que o animal já foi encaminhado para a nova família e ganhou o nome de Esperança.

“Lá no local tem vários animais como outros cachorros, ovelha, cavalos, galinhas, patos e pedimos que outras entidades de defesa dos animais fizesse uma visita”.

Fotos: Apapi
Fotos: Apapi

Por Flash Yala Sena

Fonte: Cidade Verde

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.