Caema fecha rinha de galo em Posto da Mata, na BA

Caema fecha rinha de galo em Posto da Mata, na BA

Por Petrina Nunes

BA Vicosa rinha

Por volta das 17 horas deste sábado, 16 de agosto, policiais da Cipe – Mata Atlântica, antiga CAEMA, fecharam uma rinha de galo na rua Mucuri, em Posto da Mata, distrito de Nova Viçosa. Havia 131 participantes, mas somente cinco pessoas foram conduzidas para a 8º Coorpin de Teixeira de Freitas, sendo três organizadores, um juiz e um apostador, para prestarem esclarecimentos.

De acordo com os policiais da guarnição, eles receberam uma denúncia anônima, ao chegar no local encontram 98 (noventa e oito) galos de raça “de briga”, sendo que desses, 25 (vinte e cinco) estavam mortos, vários estavam feridos e mutilados.

Além dos animais, havia a quantia de R$ 7.367,00 (sete mil trezentos e sessenta e sete reais), com o Charles Ramom Lacerda, de 43 anos, morador de Eunápolis, apostador na rinha. Havia também o total de R$ 10.735,00 (dez mil setecentos e trinta e cinco reais) em folhas de cheques de bancos diversos.

Ainda foram conduzidos: Evaldo Cesar Cardoso dos Santos, de 54 anos, morador de Posto da Mata, como organizador; Rondinelly Prates de Lima, 33 anos, morador de Posto da Mata, como organizador; Ananias Bina dos Santos Junior, 43 anos, morador de Vitória da Conquista, como juiz das brigas de galo; e, Ademir Bonfim Silva, 31 anos, morador de Posto da Mata, como organizador.

Havia materiais que os criminosos usavam nos animais, que também foram apreendidos: 01 saco preto com 34 capas; 01 balança de precisão; 01 punhal; 13 maletas com material cirúrgico; 1 gaiola para transportar aves; 02 caixas de luvas reidratante; 06 tubos de esparadrapos; 04 tubos de vitamina; 21 toalinhas; 10 arcos de serra (tico-tico); 01 mala preta com roupas; 01 tambor utilizado para a briga cercado de placas de metal e alcochoado azul; 10 pacotes de anilhas; 07 pacotes de esporas; 12 bolsas de bicos metálicos; 03 relógios de parede; 87 tesouras de arremate; 01 mala com balde metálico; 01 sacola com materiais emborrachados; e, 24 protetores de canela.

Os 52 galos que ainda ficaram vivos foram entregues a um dos organizadores da rinha, o Rondinelly, pois, de acordo com ocorrência, as delegacias de Teixeira e Nova Viçosa não têm suporte para ficarem com os animais.

Os cinco conduzidos foram liberados no mesmo dia e o fato ficou registrado como Contravenção Penal. Nossa equipe não conseguiu informações se eles também responderão pelo crime ambiental e qual poderá ser o valor da multa aplicada. O fato foi registrado na 8º Coorpin de Teixeira de Freitas.

BA Vicosa rinha2

BA Vicosa rinha3

Fonte: Sul Bahia News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.