Cães acorrentados morreram de fome em canil na Índia

Cães acorrentados morreram de fome em canil na Índia
O corpo de um cão deitado em um canil em Vampuguda em Hyderabad. (Imagem: By Arrangement)

Cenas horríveis foram testemunhadas em uma fazenda de filhotes no norte da cidade que os moradores locais descobriram no último dia 6. Carcaças em decomposição do melhor amigo do homem, acorrentados e mortos por inanição, os receberam.

Moradores locais da Bank Colony em Vampuguda, localizada ao norte do lago Kapra perto de Sainikpuri, descobriram o maltrato de animais em um canil abandonado depois de terem sentido um cheiro ruim. Após terem quebrado os cadeados, eles encontraram quatro cães famintos, mas ainda vivos, e cerca de meia dúzia de cães mortos em um estado de decomposição avançado.

Pradeep Nair, ativista dos direitos dos animais e Agente Honorário do Bem-Estar Animal, que facilitou o resgate dos cães famintos do canil, disse que os animais não tinham comido por um mês ou mais. Um cão tinha sobrevivido ao comer suas próprias fezes. “Os cuidadores foram vistos muitos dias atrás, os moradores disseram”, ele disse.

Nair fez uma denúncia na polícia de Jawaharnagar no mesmo dia à noite, mas foi dito no dia seguinte que os corpos dos cães mortos tinham desaparecido.

Organizações de bem-estar dos animais disseram que o canil de Vampuguda representa apropriadamente o sofrimento de cães usados para reprodução comercial. “Isto é o que acontece em fazendas de reprodução para produzir cães com pedigree. Tais criadores raramente tratam bem os cães de reprodução”, disse Reethi Marella, porta-voz da organização People for Animals.

O incidente de Vampuguda é o quarto reportado de crueldade animal. Nos últimos seis meses, menores da cidade se filmaram colocando fogo em cachorrinhos e um homem foi pego por uma câmera atirando em um cão por esporte.

Mais recentemente, quatro cães de rua de Balaji Nagar, não muito longe de Vampuguda, foram encontrados mortos sob circunstâncias suspeitas. Foram registradas denúncias na polícia seguindo esses ocorridos, mas pouco progresso foi feito, disseram os ativistas.

Por Rohit P.S. / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.