Cães de rua vão ganhar coleiras refletivas para evitar acidentes, em Criciúma, SC

Cães de rua vão ganhar coleiras refletivas para evitar acidentes, em Criciúma, SC

A iniciativa vai ajudar os motoristas a visualizar os animais, além de incentivar a população a adotar os animais.

Por Ana de Mattia / Prof. orientador Cláudio Toldo (SC0640JP)

Coleiras refletivas serão colocadas nos cachorros de rua para que os motoristas possam ver os animais durante a noite, evitando acidentes. Além disso, as coleiras vêm com uma etiqueta escrito “me adote”, para as pessoas identificarem que os cãozinhos são abandonados.

“Está escrito ‘me adote’ para que as pessoas entendam que os cachorros são de rua e que eles precisam de um lar”, comenta a protetora independente do grupo Unidos pelos Animais, Liziane Vitali.

A iniciativa surgiu após Joana Meller, também membro do grupo, ler uma matéria na internet que falava na implantação das coleiras refletivas na Índia para evitar acidentes durante a noite.

“A intenção é ajudar os cachorros de rua a não morrerem atropelados. Às vezes nem morrem, mas as pessoas deixam eles na rua, negligenciam, e acabam morrendo”, ressalta Joana.

SC criciuma coleiras reflexivas 01

De acordo com Joana, no início, ela e sua mãe fabricaram 30 coleiras. Agora estão apenas disponíveis para o grupo de WhatsApp dos membros que já cuidam de animais de rua.

“Já comprei mais material para gente continuar com a confecção e já tenho as etiquetas com ‘me adote'”, informa.

As coleiras fabricas estão na casa de outra integrando do Unidos pelos Animais, Maria Claudete Clemes, mais conhecida por Detinha. “Minha casa é ponto de encontro. As pessoas vêm aqui pegar as coleiras”, conta.

No mês de agosto o grupo vai às ruas colocar coleiras nos cachorros que estão abandonados.

Caso você se interesse pelas coleiras e queira colocar nos cãozinhos perto da sua casa, entre em contato com Liziane Vitali pelo telefone (48) 9964-4565.

SC criciuma coleiras reflexivas 03

Fonte: Portal SATC

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.