Cães e gatos são abandonados na porta de associação que realiza trabalho de castração em Tocantins

Cães e gatos são abandonados na porta de associação que realiza trabalho de castração em Tocantins
Animais são abandonados na portal de associação de voluntários / Foto: Divulgação

A Associação Vitória dos Bichos tem feito um trabalho que serve de exemplo para vários municípios tocantinenses. A organização não governamental foi criada em 2012, em Gurupi, através da união de voluntários com o mesmo objetivo em comum: resgatar animais de rua na cidade, tanto cães como gatos.

Segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos Para Animais de Estimação), o Brasil é o terceiro país do mundo com maior população de animais domésticos. São 54,2 milhões de cães e 23,9 milhões de gatos (dados divulgados em junho de 2021).

A partir de 2014, o foco foi ampliado, pois ação de resgate talvez não conseguisse diminuir a quantidade de animais que viviam em situação de rua, correndo riscos, e também por ser uma questão de saúde pública. Então, no início de 2015, a associação montou um centro de castração.

A presidente da associação, Diane Perinazzo, explicou ao portal AF Notícias, que o trabalho desenvolvido pela organização também busca a conscientização e o envolvimento tanto do poder público como da própria comunidade com relação aos animais de estimação e os que vivem nas ruas.

ABANDONO DE ANIMAIS

Por conta desse trabalho, um dos problemas enfrentados pela associação é o abandono de animais na porta do local. A presidente conta que já registrou o terceiro Boletim de Ocorrência (BO) contra pessoas que abandonam os animais, pois abandono é crime. A ideia é que a pessoa bata à porta e peça ajuda.

“O que é essa ajuda? Não podemos abrigar esses animais porque não temos espaço físico para isto. Mas ele pode ficar na casa da pessoa que o encontrou, enquanto isso, procuramos alguém que possa adotá-lo. Se o animal está pronto para castrar, a gente castra. Tira fotos, divulga”, contou Diane.

Por Joselita Matos

Fonte: AF Notícias via Portal Arnaldo Filho

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.