Cães morrem ao comer encomenda de cafeína jogada na varanda em BH: ‘assassinos’

Cães morrem ao comer encomenda de cafeína jogada na varanda em BH: ‘assassinos’
As cachorras tiveram taquicardia, vomitaram, espumaram saliva pela boca e morreram de infarto em seguida — Foto: Arquivo Pessoal

Uma entrega de cápsulas de cafeína terminou em tragédia na casa de uma família moradora do bairro Camargos, na região oeste de Belo Horizonte (MG), nessa quinta-feira (8 de fevereiro). A encomenda foi jogada por cima do portão da residência sem que os proprietários estivessem, e as cachorras ingeriram mais de 70 comprimidos de cafeína quando encontraram a entrega no chão. Os animais tiveram taquicardia, vomitaram, espumaram saliva pela boca e morreram de infarto em seguida. A perda dos cães, após todo sofrimento, revoltou a família, que denuncia negligência da empresa de entregas: “estamos péssimos, são assassinos, mataram nossas cachorras”, lamenta a tutora, uma mulher de 34 anos que não será identificada.

De acordo com a tutora das cachorras Sharon, uma doberman, e Marilyn, uma vira-lata, a família não estava em casa quando a encomenda foi jogada por cima do portão. Pelo aplicativo da empresa, a entrega foi realizada às 12h40 dessa quinta (8/2), mas, quando seu companheiro chegou em casa, por volta das 18h, as cachorras já estavam sofrendo. “Ele chegou e já percebeu muito vômito, diarreia pelo terreiro. A doberman estava com o coração acelerado, esquisita. Foi aí que ele notou o pote de cafeína aberto, destruído por mordidas”, conta.

A família correu com a cachorra para o veterinário, imaginando que a vira-lata não havia ingerido a encomenda. Mas, poucas horas depois, a Marilyn também começou a ter taquicardia, tremer e espumar pela boca, com a língua para fora. No médico veterinário, a notícia foi que não seria possível salvá-las. “Elas tomaram injeção, foi feito o possível, mas não tinha mais o que fazer. O médico disse que, após 30 min de ingestão, não dava para salvar. Elas infartaram e morreram”, lamenta a mulher.

Em meio ao luto, a família fez a reclamação com a empresa, que a orientou a registrar boletim de ocorrência (BO) e enviar os comprovantes de gastos com o veterinário. A denúncia, segundo a empresa, foi enviada ao setor de “compliance” e, se o erro for confirmado, os gastos com as consultas e procedimentos e com a compra da cafeína serão ressarcidos.

De qualquer forma, os tutores das cachorras pretendem entrar com ação na Justiça. “É revoltante, eles jogam as encomendas sem se responsabilizar por isso. Nós criávamos nossas cachorras dentro de casa, com todo cuidado, saudáveis, fazíamos tudo por elas, e acontece algo assim. Minha filha, de 4 anos, viu tudo e também está sentindo a falta dos bichos”.

Posicionamento do Mercado Livre

“O Mercado Livre lamenta pelo incidente relatado e informa que já estava em contato com a usuária por meio dos seus canais de atendimento oficiais. Desde o primeiro contato, uma rigorosa apuração interna foi iniciada junto ao parceiro que presta serviços logísticos. As medidas de segurança, que são exigidas de todos os parceiros, também foram reforçadas, uma vez que qualquer prática que seja divergente das suas políticas e valores não refletem as práticas do Mercado Livre. A empresa reitera seu compromisso na apuração dessa denúncia, que está sendo priorizada com o rigor que esse relato demanda, e reforça seu compromisso com a segurança das suas operações e usuários, não havendo tolerância a nenhum tipo de conduta indevida”.

Por Isabela Abalen

Fonte: O Tempo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.