Cão com sinais severos de desnutrição foi resgatado em casa de Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Cães mutilados e desnutridos são resgatados por polícia e ONG em Bebedouro, SP

Um adolescente e uma técnica de enfermagem são suspeitos de maltratar dois cachorros em Bebedouro (SP). Segundo a Polícia Civil, os animais foram encontrados com graves ferimentos e sinais de desnutrição, na casa onde viviam com o casal de irmãos, no Residencial Bebedouro.

Um dos animais apresentava mutilações. Eles foram resgatados e levados a uma clínica veterinária, onde passam por exames e recebem cuidados médicos.

O caso foi registrado pelo Setor de Proteção aos Animais do 1º Distrito Policial. Segundo a Polícia Civil, o adolescente deverá responder por ato infracional. Já a irmã será investigada por abuso e maus-tratos.

A denúncia foi feita a protetores da ONG Dona Zuleika na tarde de quinta-feira (23). Eles foram informados por testemunhas de que os animais estavam em péssimas condições e que havia uma suspeita de que fossem torturados.

Cão resgatado de casa em Bebedouro, SP, tinha mutilações — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Cão resgatado de casa em Bebedouro, SP, tinha mutilações — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A vereadora Mariângela Mussolini, que atua como protetora, acionou a polícia e foi até o local para acompanhar a ocorrência. Ela diz que os animais estavam agressivos e, com medo, não aceitavam os cuidados.

“Nós chegamos e o portão da casa estava destrancado. A moradora saiu lá fora e o irmão dela parecia estar alterado. Quando os policiais entraram, eles viram um dos cachorros em carne viva. Eles tinham o olhar triste.”

Segundo Mariângela, a técnica de enfermagem afirmou que está desempregada, por isso não levou os animais a uma clínica para serem examinados. Ela também negou qualquer tipo de maus-tratos ou violência contra os cães.

A magreza dos animais com as costelas aparentes também chamou a atenção dos policiais e dos membros da ONG.

Os dois cães foram sedados para que pudessem ser resgatados e levados até uma clínica, onde passam por exames. De acordo com a protetora, no momento do atendimento, não foi possível identificar o que teria causado os ferimentos.

O menor deverá responder junto ao Juizado da Infância e da Juventude. Se condenada pelos crimes de maus-tratos, abuso e mutilação, a técnica de enfermagem poderá pegar de três meses a um ano de detenção, e terá que pagar multa. Em caso de morte do animal, a pena pode ser aumentada de um sexto a um terço.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.