Cães resgatados de fogo em Portugal continuam sem tutor

Cães resgatados de fogo em Portugal continuam sem tutor

Animais estão num abrigo temporário à espera de serem adotados.

Por José Carlos Eusébio

Dois cães resgatados pelos serviços da Câmara de Monchique durante o incêndio que fustigou aquele concelho – e que depois alastrou ao de Portimão – estão agora para adoção.

O animais – um macho e uma fêmea , com cerca de um ano de idade – foram encontrados assustados e em risco de serem atingidos pelas chamas na Foia, há cerca de duas semanas.

Os animais estão desde então à guarda da câmara. Apesar de não terem identificação eletrónica, existia a expectativa de que os tutores dos animais viessem a aparecer, mas isso não aconteceu. Assim, a autarquia espera agora que apareça alguém que os queira adotar. Os interessados poderão usar o email [email protected] para mais informações.

Rui André, presidente da câmara, realça que se tratam de “animais dóceis e meigos”. O cão e a cadela, de raça indefinida, têm porte pequeno, pesando aproximadamente oito quilos.

Durante o incêndio, que consumiu uma área de 3745 hectares de floresta, nos concelhos de Monchique e Portimão, foram ainda recolhidos mais dois cães.

Um acompanhou o tutor que teve de ser retirado – o idoso exigiu que o animal fosse consigo – e o outro tinha o nome e um número de telefone na coleira, pelo que foi possível contactar o proprietário, que depois o foi buscar.

Além dos quatro cães, a autarquia, que tem um programa de proteção de animais em risco de incêndio, efetuou ainda o resgate de dois gatos, que já foram entregues aos tutores.

Fonte: CM Jornal / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.