Cães são deixados em caixa com recado: ‘Sem condições de cuidar’ em Ceilândia, DF

Cães são deixados em caixa com recado: ‘Sem condições de cuidar’ em Ceilândia, DF

Animais têm 51 dias de vida e estavam no centro de Ceilândia, no DF. Abandono de bichos é crime e tem pena de até 1 ano de prisão, diz polícia.

Por Raquel Morais

DF caes recado1

Um flanelinha ficou impressionado ao encontrar seis filhotes de cachorro abandonados no estacionamento de um cartório no centro de Ceilândia, no Distrito Federal. Os animais estavam em uma caixa, junto a um bilhete que dizia que eles têm 51 dias de vida e ainda não foram vacinados. O incidente aconteceu na terça-feira (7).

“Eles dormiam. Nesse frio que a gente está aqui agora, eles todos encolhidos. Fiquei impressionado”. Francisco Welson Ximnes,
jornalista.

“Não tenho condições de cuidar deles pra dar ou até vender, por isso conto com sua ajuda. Sou sua cliente, tenho criança pequena em casa e não posso ficar com eles. Obrigada (sic)”, afirma o recado.

O jornalista Francisco Welson Ximenes passava pelo local no momento em que os cães – identificados como mistura de fila brasileiro e vira-lata – foram achados. “Eles dormiam. Nesse frio que a gente está aqui agora, eles todos encolhidos. Fiquei impressionado.”

De acordo com o homem, várias pessoas pararam para ver os animais, mas ninguém conseguiu identificar o responsável. O preço de um filhote de fila brasileiro é de cerca de R$ 1,5 mil.

DF caes recado2

A Polícia Civil informou que abandonar bichos é crime, com pena entre 3 meses e 1 ano de prisão e multa. A punição pode ser aumentada em até um terço caso um deles morra.

Ximenes conta que não sabe quem ficou com os animais. “Eles ficaram na calçada. Não vi ninguém dando comida ou água. Acho que a pessoa que fez isso poderia ter procurado lugar melhor, avisado bombeiro, polícia. Aquela região ali tem muito mendigo.”

Fonte: G1 

Nota do Olhar Animal: Se a região tem “muito mendigo”, então é local de abandono não só de animais, mas de pessoas também, pela população e pelo Estado. Em ambos os casos, deve-se uma ação de assistência. 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.