Cães são mortos por envenenamento em chácara em Paranaíba, MS

Cães são mortos por envenenamento em chácara em Paranaíba, MS
Os cães eram conhecidos por serem extremamente dóceis. (Foto: Arquivo/Pessoal)

Dois cães da raça rottweiler foram envenenados em uma chácara no “Corredor do Ramalho” em Paranaíba (MS). Segundo informações do médico veterinário Henrique Beraldo, os cães, que eram mãe e filho foram envenenados com chumbinho que é um veneno irregular utilizado como raticida, após ingerirem provavelmente carne.

O veterinário contou por telefone que o cachorro macho provavelmente foi envenenado entre quarta-feira (21) e quinta-feira (22) e a fêmea no sábado. Os cães eram conhecidos por serem extremamente dóceis

Henrique contou ainda que não foram localizados pedaços de alimentos que podem ter sido usados no envenenamento e que havia na boca dos animais um vômito preto o que indica a eficácia do veneno utilizado.

Por telefone, o tutor dos animais, o professor Djalma Quirino de Carvalho disse que estava em viagem e que o auxiliar da chácara que os encontrou. “Eu estava em São Paulo e o senhor que cuida daqui chegou para dar alimento para as criações e como ele já tinha sentido falta dos cachorros no sábado resolveu procurar e encontrou o Zeus morto perto da varanda de casa e a Pandora morta próximo ao galinheiro”, contou Djalma.

Djalma disse ainda que após a constatação da morte o zelador da chácara o comunicou e ele entrou em contato com o veterinário que esteve no local e coletou sangue dos animais.

Nas redes sociais amigos e lojas de veterinária da cidade fazem uma campanha para tentar localizar o autor do crime.

Previsão legal

A Lei nº 9.605 de 12 de Fevereiro de 1998 dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. O artigo 32 diz que praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos tem pena de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Por Lucas dos Anjos

Fonte: JP News 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.