Cágado-de-barbicha aparece morto no gramado do Anfiteatro Pôr do Sol, em Porto Alegre, RS

Cágado-de-barbicha aparece morto no gramado do Anfiteatro Pôr do Sol, em Porto Alegre, RS

Um crime ambiental foi descoberto na manhã deste sábado pela reportagem do Correio do Povo na orla do Guaíba, em Porto Alegre. Um cágado-de-barbicha que desovava em um ninho sob o gramado da área do Anfiteatro Pôr do Sol, situado ao lado da desembocadura do arroio Dilúvio, foi morto e estraçalhado, junto com os ovinhos, provavelmente com golpes de pedra. Um frequentador e praticante de esportes lamentou o ataque e contou que já “conhecia” o animal por sempre estar no local. O cágado-de-barbicha faz parte da fauna nativa. 

Após tomar conhecimento do fato revelado pelo Correio do Povo, a Secretaria divulgou nota repudiando o ato. “Conforme o art. 29 da Lei Federal 9.605/1998, matar fauna silvestre é crime com pena de detenção de seis meses a um ano, e multa. A Smams oficiará as autoridades competentes, a partir das informações relatadas pela imprensa, para que seja apurado o crime. Após a apuração policial, caso seja identificado o infrator, a Smams também pode lavrar auto de infração”, informou. Na tarde deste sábado, uma equipe da Smams avaliou a possibilidade de que o animal morto não seja o mesmo que foi avistado por frequentadores da orla em plena desova no terreno na última quinta-feira, mas um outro também na área pois os cágados têm por hábito desovar e abandonar o local.

Ainda na quinta-feira, uma equipe de Fauna Silvestre da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) realizou uma vistoria na área. Nos próximos dias seriam adotadas medidas de proteção ao animal então avistado devido à previsão de realização de espetáculos no evento Poa Drive-in Show no próximo sábado, dia 27, com capacidade de 200 veículos. A empresa responsável pelo evento pretendia inclusive contratar um especialista em répteis para acompanhamento constante do local visando definir, junto com a Smams, alguma ação necessária de preservação.

Em nota oficial divulgada antes deste sábado, a Smams informou que o terreno era firme e que as câmaras de incubação para os ovinhos ficam a uma profundidade de cerca de 15 centímetros. “A desova do cágado-de-barbicha na região é comum geralmente na primavera, com filhotes nascendo no verão. A desova flagrada pode ter ocorrido porque tivemos dias muitos quentes consecutivos, mas não é o padrão da espécie”, explicou. “A população não deve mexer ou cavar os ninhos, sob risco de quebrar os ovos”, alertou.

Fonte: Correio do Povo

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.