Câmara aprova Projeto da UPA Veterinária para humanizar e modernizar Campo Grande, MS

Câmara aprova Projeto da UPA Veterinária para humanizar e modernizar Campo Grande, MS

MS CampoGrande unidadeveterinaria

Projeto autorizativo apresentado pelo vereador Chiquinho Telles (PSD) permite à Prefeitura de Campo Grande criar a Unidade de Pronto Atendimento Veterinário (UPA-VET) que deverá prestar atendimento de urgência e emergência aos animais domésticos: caninos (cães), felinos (gatos), equinos (cavalos), asininos (asnos), e muares (mulas). A unidade também deverá oferecer consultas, orientações, medicação de emergência e pequenas cirurgias, nas 24 horas em que deverá permanecer oferecendo atendimento.

Na justificativa do projeto, o vereador destaca que será um salto para a assistência da saúde animal, uma vez que existem poucas clínicas particulares que atendem em regime de plantão e os serviços são de alto custo impedindo o acesso dos animais das pessoas de baixa renda.

Com a instalação do UPA-VET, os animais receberão tratamento condizente, podendo ser atendidos para cirurgia emergencial em decorrência de atropelamento, fraturas, mutilações, parto, ou por ingestão de objetos e, se necessário, poderão ser transferidos para um hospital veterinário.

Segundo Telles, “o atendimento aos animais é uma ação humanitária e de saúde publica. Isso não implica em que a saúde humana esteja sendo atendida a contento, mas cuidar da saúde animal é de fundamental importância também. Espero que esse projeto se amplie e que possamos ter Unidades Veterinárias em número suficiente para atender a todas as regiões da Capital.”

Por ser autorizativo, o vereador entende que a Prefeitura deve procurar parcerias com universidades e clínicas particulares para a implantação da UPA-VET. A partir da aprovação do projeto, o executivo terá o prazo de 90 dias para sua regulamentação.

Caso aprovado, a Capital dará um salto de qualidade e modernização, se equiparando às outras capitais que já contam com esse serviço, bem avaliado pela população e que tem sido destaque em termos de saúde pública e qualidade de vida.

Fonte: MS Notícias 

Nota do Olhar Animal: Projetos autorizativos não tem eficácia prática alguma. Como indica o nome, limitam-se a autorizar a Prefeitura a fazer algo que, aliás, é sua obrigação. Projetos autorizativos apenas marcam politicamente uma posição, no caso, em favor de políticas públicas do Executivo para o controle populacional e cuidados veterinários para os animais. De qualquer forma, que a iniciativa do vereador ecoe na Prefeitura de Campo Grande, cujo CCZ recentemente foi proibido pela Justiça de exterminar animais com leishmaniose, prática anacrônica, ineficaz e nada ética.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.