Câmara vota verba para construção de ‘hospital’ para animais em Curitiba, PR

Câmara vota verba para construção de ‘hospital’ para animais em Curitiba, PR

Por Ivan Santos

PR curitiba hospital

A Câmara Municipal de Curitiba vota amanhã mensagem do prefeito Gustavo Fruet (PDT) que pede autorização dos vereadores para a abertura de um crédito adicional de R$ 3,14 milhões. Desse total, R$ 1,14 milhão é destinado à construção do Centro de Referência de Animais em Risco (Crar), que deve atender esses animais e destiná-los para a adoção.

Na justificativa da matéria, Fruet explica que a implantação do Crar integra a Política Municipal da Defesa Animal. A obra, diz a prefeitura, é “uma demanda antiga da população, visando harmonizar a relação entre a população, os animais domésticos e o meio ambiente”.

O crédito também destina R$ 2 milhões à implantação de 15 centros de sustentabilidade – locais de entrega voluntária de resíduos recicláveis gerados nas residências. Dez deles custariam R$ 100 mil e os demais, R$ 200 mil. De acordo com a justificativa, os modelos do tipo mais caro também receberiam entulhos da construção civil.

Segundo o projeto, os R$ 3,14 milhões são provenientes do superavit financeiro do Fundo Municipal do Meio Ambiente em 2014. Ele recolhe, entre outras fontes de recursos, as multas por atos lesivos ao meio ambiente e as taxas sobre a utilização de recursos ambientais. Um exemplo são os valores recebidos pela Sanepar, devido à concessão do serviço público de abastecimento de água e de recolhimento e tratamento de esgoto.

Os vereadores também votarão uma emenda do Professor Galdino à proposta de lei do Executivo. A proposta quer alterar o nome do Crar para Centro de Referência de Atendimento a Animais em Risco. O vereador argumenta que a modificação “visa adequar a nomenclatura ao que foi definido em fórum realizado no dia 9 de abril de 2013, pelo Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente”.

Fonte: BemParaná

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.