Campanha arrecada verba para levar cães ao Maranhão

Campanha arrecada verba para levar cães ao Maranhão

Por Yara Ferraz

SP campanha caes

Após intensa campanha para arrecadação de doações, Simão Pinheiro da Costa, 43 anos, conseguirá voltar para a sua cidade natal, Buriti Bravo, no Maranhão. Ele, que não vê a família há mais de 20 anos, embarcará levando os seus companheiros Negão, Neguita e Marrom.

Desde março o Diário acompanha a história de Simão, que comoveu os leitores. Ele veio para São Paulo em 1989 para tentar uma vida melhor, conviveu com o vício das drogas e se recuperou. Desde então, vive a realidade das ruas, tendo os três animais como seus companheiros.

Familiares de Simão entraram em contato com o Diário, mas só podiam arcar com a passagem dele, que nem pensava em abandonar os cachorros. Foi quando a amiga de Simão Norma Elaine Pezzolo, 61, resolveu fazer uma campanha para ajudá-lo.

Norma começou a vender rifas e criou uma conta poupança. Após a divulgação da história do morador de rua em uma emissora de TV, veio a surpresa:uma doação de R$ 5.000. “Quando abri o computador não acreditei. Essa pessoa, que é do Interior, deixou o telefone. Liguei perguntando se era isso mesmo e chorei de tanta felicidade”, disse ela.

Até agora a campanha arrecadou R$ 7.577 com doações até do Amazonas e Minas Gerais, o que já dá para arcar com a volta dos cachorros. Toda quantia fica no banco. A passagem de Simão vai ser custeada pela família.

Conforme os dados da companhia aérea escolhida, o valor de transporte de cada animal pode chegar a R$ 1.440, caso algum deles tenha mais de 40 quilos. Se o peso dos animais for até de 40 quilos, o valor é de R$ 835 e até 31 quilos, R$ 665.

Mesmo assim, ainda faltam alguns detalhes para que Simão, de fato, tenha uma oportunidade de recomeçar a vida. Além da medição e pesagem dos animais, os três vão passar por uma avaliação veterinária.

Uma caixa para o transporte foi doada pela clínica veterinária Zoo Vet Care e Pet Shop Zoo Point, de São Caetano. Ainda são necessárias mais duas, além de suprimentos para Simão, como roupas e produtos de higiene.

“Eu não acredito que vai realmente acontecer. Não estou nem conseguindo dormir a noite de tanto que o meu coração acelera. E pensar que tudo isso começou quando eu aceitei falar como vocês”, disse Simão, emocionado.

A prima dele, a pedagoga Tatiana Rossany, 38, ficou sabendo da notícia por meio da reportagem do Diário. Segundo ela, a família espera ansiosamente pela volta. “Moro em Manaus, mas ele vai ficar com os meus pais e uma tia minha. Nossa única preocupação é o transporte dele e dos cachorros do aeroporto de Teresina até a cidade, vamos precisar de um carro grande. Mas a gente dá um jeito.”

Simão tem o sonho de trabalhar como lavrador. Ele quer plantar frutas e verduras e garantir o seu sustento com uma realidade melhor que a vivenciada nas ruas.

Para quem ainda quiser contribuir, a conta tem previsão de ficar ativa até o fim do mês. O número é 350001 variação 51, agência 5688X, do Banco do Brasil.

Fonte: Diário do Grande ABC

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.