Campanha pela preservação do boto da Amazônia toma praia da Ponta Negra, em Manaus

Campanha pela preservação do boto da Amazônia toma praia da Ponta Negra, em Manaus

AM manaus Populacao-boto-vermelho 0101 15

Durante este final de semana, em Manaus, o Complexo Turístico Ponta Negra, na Zona Oeste da capital, recebe a campanha Alerta Vermelho, que visa conscientizar e sensibilizar a população quanto a necessidade de proteção e preservação do boto da Amazônia. A matança desse animal é ilegal e comum na região, e tomou proporção de denúncia nacional esta semana.

Na prática, os animais são mortos para que a carne deles sirva como isca para a pesca da piracatinga (Calophysus macropterus), peixe carniceiro que é atraído pelo cheiro da carne de boto. Além de matar e usar botos como isca, pescadores enganam os consumidores vendendo a piracatinga com o nome de “douradinha”, comum nas feiras e mercados de Manaus.

Anualmente, 2,5 mil botos são mortos em municípios do Amazonas e Estados vizinhos para servir de isca na pesca da piracatinga, também conhecido como urubu d’água. Na campanha, as pessoas podem ajudar na proteção do mamífero assinando uma petição, no site www.alertavermelho.org.br ou doando R$ 100 para a campanha.

Na Ponta Negra, em parte da praia, foi instalada uma réplica gigante do boto em forma de inflável, com 12 metros de comprimento, além de barracas para distribuição de informes de combate à matança. A ideia é levar a campanha, com o próprio inflável gigante, para outras cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, ainda este ano.

A programação inicia 9h e termina às 17h30. Toda a campanha é desenvolvida pela Associação Amigos do Peixe Boi (Ampa) e pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), com apoio da Prefeitura de Manaus, do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), e do Ministério Público Federal. O boto é um animal protegido por lei desde 1967.

Fonte: A Crítica

Nota do Olhar Animal: Mais uma campanha daquelas, um tanto ‘esquizofrênicas’, que passam longe de uma abordagem ética. Mensagem: “matar o boto é errado, matar o peixe é certo”.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.