Campo Grande: No Centro de Triagem, animais recebem atenção especial no tempo quente

Campo Grande: No Centro de Triagem, animais recebem atenção especial no tempo quente

MS campogrande cras dentro8

Tá quente, não é? E nesse tempo, os animais do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras) recebem um carinho todo especial. É banho pra todo lado. A bióloga Maria Izabel Rossi acompanhou a equipe do Diário Digital em um breve passeio no local e explicou como funciona o acompanhamento aos bichinhos na época mais quente do ano.

Para amenizar um pouco o calor, nas grades da jaula, são colocadas folhas de bacuri, que impedem a entrada do sol. “A gente usa as folhas de bacuri, porém agora estamos na fase da troca das folhas, as mangueiras de neblina que deixamos ligadas direto no quintal para dar uma melhorada no ar e também as bacias para que eles tomem banhos”, explica a bióloga. Tudo é trocado constantemente e limpo pela equipe do Cras.

Dois tucanos, vítimas de cerol, fazem a festa no banho. “Ele chegou aqui com a asinha por um fio e acabou perdendo a asa direita, já se recuperou e vai para a adoção essa semana”, fala Maria. A anta, então, nem se fala. “Chega no final do dia a gente só vê a cabecinha delas na água, só saem para comer mesmo”.

A jaula onde fica as duas araras azuis em recuperação também tem a água trocada com frequência. “A equipe vem aqui e limpa todo o local para manter a água fresquinha. O trabalho é redobrado, mas é compensador ver a alegria deles”, comenta a bióloga. 

Os jabutis também se acabam no banho. Segundo a bióloga, eles sentem bastante o calor e necessitam de muita água. Por isso na jaula, foi colocado um recipiente só para eles se refrescarem. “Como são animais de áreas alagadas, então é a nossa maior preocupação, que tenha água pra eles o tempo todo”, conta.

A bióloga disse que um dos animais que mais se refrescam nesse calor é a ariranha. Assim que viu a equipe, uma delas começou a fazer festa na água. “Esse é animal que toma banho direto, então sempre estamos trocando a água deles”. Os animais em treinamento de voo no Cras também não ficam de fora. Na maior parte são papagaios. “A mangueirinha fica ligada para eles”.

Maria Izabel explicou que dos animais em recuperação no Cras, o que mais sente o impacto do calor é a onça. “O limpador vai lá, limpa o recinto, troca a água e coloca a comida. Isso é feito com mais frequência já que é o animal que mais sente esse calor. Agora as que estão em recuperação aqui estão dormindo, porque é um animal noturno, mas no entardecer ela sai”, explica.

Alguns animais do Cras permanecem no local até a recuperação e depois são soltos na natureza. Ao todo, 68 fazendas de Mato Grosso do Sul estão cadastradas no Cras para receberem esses animais.

MS campogrande cras a-dsc-0015

MS campogrande crasb-dsc-0020

MS campogrande crasc-dsc-0024

MS campogrande crasd-dsc-0048

MS campogrande crasf-dsc-0070

MS campogrande crash-img-3897

MS campogrande crase-dsc-0062

MS campogrande crasg-img-3876

 

Fonte: O Diário Digital

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.