Canadá recebe uma nova unidade de investigação de crueldade animal

Canadá recebe uma nova unidade de investigação de crueldade animal
Foto: Fred Moon/Unsplash

O Canadá criou a primeira unidade com a tarefa de investigar e punir formas de crueldade contra animais.

A unidade está há dois anos em formação e conta com o auxílio de diversos especialistas em animais. Seu objetivo é priorizar e reprimir todos os casos de crueldade animal. Este tipo de unidade é nova no Canadá, apesar de muitas outras partes do mundo usarem um sistema semelhante, incluindo os EUA.

A sargento da equipe, Anna Sinclair, disse: “A pesquisa mostrou que existe uma ligação inequívoca entre a crueldade contra os animais, a violência doméstica e as investigações de maus-tratos contra crianças e idosos. Os infratores que maltratam de animais podem cometer outros crimes violentos, e causam danos às pessoas e à sociedade em geral.”

Mais de 400 casos de crueldade contra animais foram investigados no ano passado, o que mostra o quão urgente é a necessidade de se criar uma unidade específica para lidar com essa questão.

A polícia canadense estava mais ansiosa para ajudar na criação da unidade especial quando a crueldade contra os animais estava claramente ligada a outras formas de maus-tratos e violência. Const. Ilka Cunningham disse: “Tudo começou com o nosso amor pelos animais, e então percebemos que há um quadro muito maior aqui e rapidamente reconhecemos a ligação com os casos de violência infantil e doméstica. Raramente é apenas maus-tratos de animais. Sempre afetou os humanos de uma forma também”.

Esta é uma notícia incrível para os amantes dos animais em todos os lugares, pois mostra mais uma área do mundo que está levando a crueldade contra os animais a sério. Com os casos crescendo a cada ano, é mais urgente do que nunca lidar com os maus-tratos aos animais.

Por Abigail Jane / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet


Nota do Olhar Animal: Os abusos e maus-tratos cometidos contra os animais não humanos já são motivos mais que suficientes para que medidas de combate a essas violências fossem adotadas.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.