Canil em que pit bull foi sacrificado em MG abriga quase o dobro da capacidade de animais

Canil em que pit bull foi sacrificado em MG abriga quase o dobro da capacidade de animais
Canil em que pit bull foi sacrificado em MG abriga quase o dobro da capacidade de animais — Foto: Reprodução/EPTV

O Centro de Bem Estar Animal de Pouso Alegre está com superlotação. O espaço tem a capacidade de receber 75 animais, mas, atualmente, abriga 113 cães e 12 gatos. A situação preocupa ONGs e instituições de proteção animal. Na última semana, um pit bull saudável de 7 anos foi sacrificado no local e o caso causou revolta.

VÍDEO: Canil em que pit bull foi sacrificado em MG tem superlotação de animais

“Já aconteceu, muitas vezes, da gente resgatar um animal e não ter condições de assumir o tratamento do animal. Ai, a gente manda lá para tratar e pega de volta quando o animal já foi tratado. O que acontece é que esses animais voltam pra gente muito magros e desesperados por comida, com fome. A forma que está lá, com os animais todos juntos, acaba que eles ficam com falta de comida mesmo, porque o que é mais esperto acaba comendo mais que o outro e uns ficam para trás”, pontuou a protetora animal Caroline Bazoli.

Aquiles, o pit bull que acabou sacrificado, estava perdido nas ruas do Centro da cidade quando foi recolhido pelo Corpo de Bombeiros. Seguindo protocolo da prefeitura, o animal foi levado ao canil municipal.

De acordo com o boletim de ocorrência, a direção do canil optou por eutanasiar Aquiles porque, segundo o documento, o animal era perigoso e o Centro de Bem Estar Animal não possuía espaço suficiente para recebê-lo. O Ministério Público foi acionado para apurar o caso.

“A gente já vem tentando há bastante tempo, mas sem resolução. Estamos tentando aproveitar, agora, esse caso que teve muita repercussão para a gente conseguir melhorias. O Conselho de Veterinária vai fiscalizar o canil e queremos cobrar para que eles aumentem os espaços, para que tenha mais condições aos animais. E mais políticas de castração para diminuir os animais de rua, além de política de adoção, pois não existe nenhuma”, complementou a protetora.

O caso de Aquiles viralizou. A prefeitura emitiu uma nota em que lamenta o ocorrido, repudia qualquer tipo de violência e maus-tratos contra animais e que diz ter inúmeras políticas públicas de proteção e bem-estar animal.

“O ano de 2023 castramos mais de 2,3 mil animais no município de Pouso Alegre. O abandono é constante, atendemos diariamente animais de rua em que fazemos resgate, em média cinco a sete animais diariamente. São animais abandonados pela comunidade”, falou o Coordenador da Defesa Social de Pouso Alegre, Aylton de Souza Alvez.

Ainda conforme a nota, a prefeitura diz que, em 2023, iniciou um processo licitatório para melhorias no Centro de Bem Estar Animal. O texto diz que, ao todo, serão investidos cerca de R$ 1 milhão. A ideia é que as obras comecem ainda este ano. O canil municipal possui uma área de 2 mil metros quadrados

“A construção de novas baias que vão ser mais de 46 baias. Um novo gatil, bem como a infraestrutura de todas as baias antigas, que são coletivas, serão reformadas com a mudança de telhado. Vamos investir ao ponto de que todos os animais sejam bem cuidados para que voltem à comunidade bem sadios”, falou o coordenador.

Veterinário que sacrificou pit bull em canil municipal é afastado por prefeitura em Pouso Alegre — Foto: Arquivo pessoal
Veterinário que sacrificou pit bull em canil municipal é afastado por prefeitura em Pouso Alegre — Foto: Arquivo pessoal

O Coordenador da Defesa Social de Pouso Alegre disse, ainda, que a cidade conta com seis clínicas veterinárias para atendimento à população e, também, uma clínica de imagem e outros exames. Ele também reforçou que só no ano passado o local recebeu 23 mil quilos de ração e que, atualmente, são 5 mil no estoque. No próximo dia 18, segundo ele, tem início o processo licitatório para escolha da empresa que deve assumir as obras do Centro de Bem-Estar Animal.

A prefeitura destacou que todos os cães disponibilizados para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados. Para adotar um pet, é preciso ter mais de 18 anos e apresentar comprovante de residência, CPF, RG e assinar um termo de responsabilidade.

A administração municipal salientou que uma entrevista é realizada para saber se a pessoa atende aos requisitos necessários. A prefeitura diz que oferece consultas e castrações gratuitas para os pets de tutores que não podem arcar com os custos. As consultas médicas são realizadas às terças-feiras.

Ainda segundo a postagem, a eutanásia foi feita em um animal sadio e que estava com medo e assustado.

“Sem dar a menor chance para esse animal que não tinha nada, só estava perdido, sem postar uma foto, sem tentar conseguir uma adoção que fosse, ou encontrar os donos, decidiram eutanásia-lo por estarem sem baia. Foi morto apenas por ser um Pit Bull”.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: A EUTANÁSIA é um ato de caráter misericordioso e que deve atender aos interesses de quem o sofre, e não aos interesses de quem o pratica. Só pode ser chamado de “eutanásia” o ato de abreviar a vida de um animal com doença incurável e em estado irreversível de sofrimento. Os órgãos públicos de saúde disseminaram o entendimento errado do termo “eutanásia” a fim de tentar minimizar a IMORALIDADE de suas ações de extermínio. Infelizmente, até mesmo protetores usam erradamente esta terminologia.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.