Cão adotado acompanha velório de idosa que recuperava presos no RS

Cão adotado acompanha velório de idosa que recuperava presos no RS

Maria Ribeiro da Silva Tavares morreu aos 102 anos em Porto Alegre. Milke, de 5 anos, permaneceu a maior parte do tempo ao lado do caixão.

Por Paulo Ledur

SP portoalegre paulo ledur

Não foi só a tristeza de amigos e familiares que chamou a atenção durante o velório da assistente social Maria Ribeiro da Silva Tavares, de 102 anos, que há mais de sete décadas prestava apoio para a ressocialização de detentos do regime semiaberto em Porto Alegre. No funeral, o cachorro adotado pela idosa, Milke, de 5 anos, permaneceu a maior parte do tempo ao lado do caixão, encolhido no carpete.

A voluntária morreu no domingo (21). Ela apresentava problemas respiratórios e estava internada há uma semana no Hospital Ernesto Dornelles.

O cão foi abandonado na porta da entidade quando era filhote. A predisposição inata em ajudar de Maria Tavares não falhou: ela acolheu o cãozinho. Ele passou a ser o companheiro inseparável da idosa nos últimos anos. Agora, o animal ficará sob os cuidados dos ex-detentos.

No bairro Teresópolis, Zona Sul de Porto Alegre, fundou o Patronato Lima Drummond foi fundada em 1942, onde prestava ações voltadas à recuperação dos detentos. Atualmente, Maria também estava sob os cuidados de detentos. O sepultamento está previsto para a manhã desta segunda-feira (22) no Cemitério Jardim da Paz.

Fonte: G1 (editada)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.