Cão agredido a pedradas pelo tutor em praça de Gália é resgatado por ONG

Cão agredido a pedradas pelo tutor em praça de Gália é resgatado por ONG
Cão agredido a pedradas em Gália é resgatado por ONG de Bauru — Foto: ONG Arca da Fé/Divulgação

O cão que foi agredido a pedradas pelo tutor em uma praça de Gália (SP) foi resgatado na manhã desta quarta-feira (10) por uma ONG de proteção animal de Bauru e será encaminhado para adoção. Um vídeo mostra a agressão ao animal (veja abaixo).

O agressor, que é tutor do cão, e seu cúmplice, que aparece no vídeo dando a pedra ao homem, foram identificados pelo polícia, prestaram depoimento e acabaram liberados.

VÍDEO: Vídeo mostra homem dando pedradas em cachorro em Gália

Ambos vão responder por maus-tratos a animais, crime previsto na lei ambiental com pena de três meses a um ano de detenção, além de multa.

A orientação da polícia é para que as pessoas denunciem esse tipo de crime.

VÍDEO: Cão agredido a pedradas em Gália é resgatado por ONG de Bauru

Logo após o depoimento do agressor, representantes da ONG Arca da Fé conversaram com o homem, que acabou concordando que o cachorro fosse levado por eles.

O animal agora vai receber atendimento veterinário e ficará à disposição para uma adoção responsável. Inicialmente, foi constatada também uma possível fratura em uma das patas do animal, que está mancando.

Agressão ao cachorro em praça pública revoltou moradores de Gália: “monstruosidade” — Foto: Arquivo pessoal

O caso ganhou repercussão depois que imagens gravadas na semana passada mostraram dois homens sentados em um banco na Praça Custódio Araújo, onde fica a Igreja Matriz São José. Um deles segura o cachorro com uma corda e dá várias pedradas na cabeça do animal.

O vídeo repercutiu nas redes sociais e revoltou moradores de Gália, que consideraram o fato como uma monstruosidade. A polícia começou a investigar a agressão depois que o vídeo viralizou na internet.

Vanessa Araújo, presidente da ONG, diz que animal passará também por exame de raio-X, por suspeita de fratura em uma das patas — Foto: ONG Arca da Fé/Divulgação

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.