Cão é achado morto por envenenamento após vizinho reclamar de latidos; polícia investiga

Cão é achado morto por envenenamento após vizinho reclamar de latidos; polícia investiga
Bentley foi encontrado morto em Guarujá, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Um cachorro da raça rottweiler foi encontrado morto por envenenamento cerca de 20 dias após um vizinho reclamar dos latidos dele, em Guarujá, no litoral de São Paulo. A tutora de Bentley foi até a delegacia para denunciar e desabafou sobre o caso nas redes sociais. “Quero conseguir justiça”, afirmou ao G1 a bacharel em direito Luiza Abduch, de 30 anos.

Segundo relata, Bentley ficava junto com o rottweiler do companheiro dela, em um terreno próximo ao prédio onde mora. No dia 1º de março, um vizinho foi até o estabelecimento em que o namorado dela trabalha, falando que os cachorros latiam muito, e que não deixavam a mãe dele dormir. De acordo com Luiza, o companheiro tentou explicar que o homem havia confundido os cães, e que os latidos não eram dos dois.

Mesmo assim, o vizinho teria ficado alterado e chegou a ameaçar. “Resolve isso, ou vou dar meu jeito”, teria dito. Depois do episódio, ela ficou preocupada, e pensou em registrar um boletim de ocorrência. Apesar disso, a família acreditou que não havia a possibilidade de algo pior acontecer, e ela desistiu da ideia de denunciar. Entretanto, algumas semanas depois, no dia 23 de março, ela entrou no terreno e encontrou Bentley morto.

“Abri o portão e só um dos cachorros me recebeu. Entrei e vi que o Bentley estava deitado em um canto, e vi que estava morto. Comecei a gritar, pedir socorro, tentei reanimar meu cachorro”, relembra.

Cachorro foi morto por envenenamento, segundo laudo veterinário — Foto: Arquivo Pessoal

Inconformada com a morte do animal, ela procurou fazer um exame nele para descobrir a causa. No veterinário, foi constatado que a morte se deu por envenenamento por chumbinho. Luiza passou, então, a procurar câmeras de monitoramento próximas. Nas imagens obtidas por ela, é possível ver o vizinho, que seria o suspeito, com uma sacola na mão, passando pelo terreno.

Luiza decidiu denunciar e fez o boletim de ocorrência, registrado como ‘praticar ato de abuso a animais’. Ela ainda cedeu as imagens do dia da morte do cão à Polícia Civil. Desde então, busca por justiça, e chegou a publicar nas redes sociais a história, junto com vídeos do pet.

“Estou há dias procurando provas, pedindo ajuda, e não consigo fazer justiça a meu favor. Ao mesmo tempo que lido com o luto, tenho que lidar com a justiça, que é lenta”, desabafa. Luiza acredita que o vizinho tenha sido o responsável, e espera a continuidade das investigações para que algo seja feito a respeito. 

“Era um cachorro muito amoroso, ele era muito bonzinho, e muito querido por todo mundo. O levava para viajar, até na casa dos amigos. Tem sido muito difícil para mim”, diz Luiza.

Bentley estava com Luiza desde pequeno — Foto: Arquivo Pessoal

A tutora do cão acredita que o vizinho ainda não foi intimado para prestar depoimento a respeito do caso. Além de registrar o boletim de ocorrência, ela deixou um pendrive com todas as imagens que conseguiu coletar.

O G1 questionou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) se o suspeito já foi ouvido, mas não obteve retorno. Entretanto, a pasta confirmou que o caso foi registrado como ‘praticar ato de abuso a animais’ na Delegacia Sede de Guarujá, no dia 28 de março, e informou que a unidade instaurou inquérito policial, e que todas as circunstâncias dos fatos são investigadas. O G1 não localizou o suspeito até a última atualização desta reportagem.

Por Leticia Gomes

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.