Cão é resgatado desnutrido e doente após ser abandonado na rua por tutores que se mudaram, diz polícia

Cão é resgatado desnutrido e doente após ser abandonado na rua por tutores que se mudaram, diz polícia
Cachorro resgatado em Itobi após denúncia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um cachorro foi resgatado doente e desnutrido pela Polícia Civil de Itobi (SP), na quinta-feira (26). Os tutores teriam abandonado o animal ao se mudarem de uma casa, no bairro União.

VÍDEO: Polícia Civil investiga tutores que se mudaram e abandonaram cão em rua de Itobi

O caso foi registrado como maus-tratos e é investigado pelo delegado Thiago Rubim. (veja vídeo acima).

Denúncia e resgate de cachorro

A Polícia Civil recebeu uma denúncia da Associação Protetora dos Animais ‘Adote um Amigo’, de Casa Branca, e os policiais encontraram o animal em situação de desnutrição e abandono.

Também foi constatado que o cão está com cinomose, uma doença infectocontagiosa, que ataca o sistema nervoso do animal.

“O cão ficou abandonado alguns dias. Os moradores se mudaram e os vizinhos denunciaram no outro dia, chegando a informação até a delegacia. Pelas condições de desnutrição, ele já não vinha sendo alimentado”, disse o delegado.

O cachorrinho recebeu tratamento veterinário e está sob os cuidados para ser colocado para adoção.

Cachorro foi encontrado desnutrido e doente em Itobi após abandono — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Cachorro foi encontrado desnutrido e doente em Itobi após abandono — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Crime de maus-tratos

O delegado instaurou inquérito policial para apurar os responsáveis pelo abandono do animal. O crime de maus-tratos tem pena de 2 a 5 anos de prisão, além de multa e proibição de guarda de animais.

“Atualmente a lei é rígida para garantir que os responsáveis sejam identificados e punidos . É fundamental que a sociedade se conscientize sobre a importância da posse responsável dos animais, que devem ser tratados com respeito e dignidade”, disse.

Fonte: g1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.