Cão é sacrificado no RS após ter órgão genital mutilado; MP investiga

Cão é sacrificado no RS após ter órgão genital mutilado; MP investiga

A agressão a um cão de rua em São Borja , na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, gera comoção na comunidade. Encontrado com cortes pelo corpo e com o órgão genital mutilado na última semana, ‘Bolachinha’ teve de ser sacrificado após o veterinário que o medicou não encontrar outra solução para o caso. Um protesto no domingo (26) pediu justiça. O Ministério Público investiga, e já há suspeitos do crime.

Cerca de 600 moradores da cidade, de acordo com a Brigada Militar, se reuniram para a manifestação. Com cartazes com mensagens sobre Bolacinha, eles fizeram uma caminhada contra maus-tratos aos animais e para pedir a punição do agressor.

O que mais chocou a comunidade foi a brutalidade do crime, conforme relata a publicitária Taylize Neresse. “Ele andava sempre pela rua devia fazer uns três meses, e a gente alimentava ele. Foram colocadas até umas caixinhas na rua, o pessoal todo ajudava a cuidar dele”, diz. “E aconteceu isso que pegou todo mundo de surpresa, toda a comunidade ficou chocada, por se tratar de um caso tão cruel e cometido por uma pessoa totalmente fria”, lamenta.

“Foi necessário optar pela eutanásia, pelo fato de que as lesões foram muito grandes. A perda de sangue foi muito avançada, o tempo em si prejudicou muito o tratamento”, explicou o veterinário Lucas Leivas Jacques, que ajuda a Associação dos Colaboradores e Protetores dos Animais de São Borja (Acopas).

Após moradores registrarem ocorrência sobre a agressão, o Ministério Público iniciou a investigação. A apuração está no começo, mas já há suspeitos. “Foi instaurado um expediente investigatório, e a partir daí foram ouvidas algumas testemunhas, em torno de cinco. Nessa semana, serão ouvidas outras testemunhas. Os suspeitos também serão ouvidos”, diz o promotor Robson Barreira.

Fonte: Jornal Floripa

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.