Cão morto em canil em SP pode ter sido vítima de magia negra, diz ONG

Cão morto em canil em SP pode ter sido vítima de magia negra, diz ONG

Animal de dois meses teve o sangue retirado, a língua e o couro cortados. Associação oferece R$ 500 de recompensa por informações sobre autores. 

Por Igor Savenhago 

A Associação Amigos Barretenses dos Animais (ABA) oferece recompensa de R$ 500 para quem tiver informações que possam apontar quem matou um filhote de cachorro na noite do último domingo (6), na sede da entidade, em Barretos (SP). O filhote, de apenas dois meses, estava com a cabeça e o pescoço machucados e teve todo o sangue retirado. A língua e uma parte do couro também foram levados. Responsáveis pela ONG acreditam que o animal tenha sido vítima de um ritual de magia negra. Um boletim de ocorrência foi registrado na terça-feira (8) e o caso está sendo investigado. 

Segundo Beatriz Silva, gerente geral da ABA, a suspeita é que dois homens invadiram o canil, onde estava o filhote morto e outros 15 animais. “Não tenho nem palavras para descrever a cena. Só posso dizer que foi uma atitude chocante”, afirma Beatriz.

A entidade, que fica em uma chácara na zona rural, é monitorada por câmeras de segurança, mas só a que está instalada no canil registrou parte da ação. O local, no entanto, estava escuro, o que dificulta a identificação dos autores. “Quem olha as imagens tem a impressão de que foram duas pessoas”, diz a gerente.

Beatriz diz acreditar que a morte do cachorro foi provocada por alguém que conhecia a rotina da ABA. “Se conseguiram entrar por onde as câmeras não pegam, é porque sabiam onde elas ficavam”, afirma. O canil é de alvenaria, com aberturas na parte superior, protegidas por cortinas. De acordo com Beatriz, foi por uma delas, no fundo do local, que os criminosos entraram.

O filhote de vira-latas foi encontrado logo após o nascimento em uma rua de Barretos e levado à ABA para receber os cuidados necessários e depois ser disponibilizado para adoção. A entidade atende, atualmente, cerca de 200 animais, que são mantidos com doações e ajuda de voluntários. Beatriz diz que, com a morte do filhote, a diretoria irá buscar apoio para a construção de alambrados que possam dificultar a entrada de estranhos.

SP barretos foto aba 1

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.