Cão que andou 5 km até família morre em ataque de cobra e vira herói em MS

Cão que andou 5 km até família morre em ataque de cobra e vira herói em MS
Sophia e Bethoven, o cachorro 'aventureiro' (Foto: Isabela Cavalcante/ G1 MS)

De espírito aventureiro e mais esperto do que se imagina, o vira-lata Beethoven demonstrou mais uma vez ser fiel à família que o tinha como filho ao defender as crianças de uma cobra no último domingo (12), em Campo Grande. O cachorro de 6 anos morreu e o veterinário acredita que tenha sido por conta de um ataque de cobras, segundo Jair Gomes Dias.

“Ele estava fim de semana na chácara, quando viram ele estava choramingo num canto. Levamos no veterinário e lá falaram que foi cobra, pelos machucados e por ser chácara. Já aconteceu outras vezes de aparecer cobras lá e me falaram que um dia tinha um até dentro da casa”, contou Jair do G1.

Jair lamentou a morte de Beethoven nas redes sociais com um texto de homenagem, contando o que a família acredita ter acontecido. Apesar da tristeza, ele ressalta que o animal acabou evitando que uma das crianças da chácara fosse atacada pela cobra.

“Morreu nosso Herói (a narrativa a seguir é ficção): neste fim de semana o Beethoven , para salvar as crianças que estavam na Chácara travou sua última batalha com uma enorme cobra, foi picado e não resistiu, vindo a sucumbir no hospital. Mas diante do acontecido que fique um alerta. Cuidem das crianças quando estiverem em CHÁCARAS, sítios ou fazendas, pois é o habitat dos bichos e se vocês não contarem com um herói igual ao Beethoven, poderão chorar por suas crianças. Fica a dica. Beethoven, vai com Deus”.

Família lamentou morte do cãozinho de estimação (Foto: Reprodução/Facebook)

Aventureiro

Beethoven foi personagem de uma matéria feita pelo G1 MS em janeiro de 2016. Na época, ele tinha fugido da casa da família, no bairro São Francisco, e percorreu 5 km até a casa onde a família estava, no bairro Santo Antônio.

O autônomo Djalma Maldonado, de 45 anos, contou ao G1 que o animal só tinha ido uma única vez no local, mas no carro com a família.

Conforme o médico veterinário, Fernando Paiva, os animais possuem senso de localização e habilidade de orientação bastante aguçados. “Como ele já tinha ido uma vez na casa, ele pode ter registrado o cheiro, memorizado pontos e isso levou ele até o lugar de novo”, explica.

O animal era bicho de estimação da filha dele, a Sophia de 6 anos, que têm mais dois cachorros. Nenhum deles tinha feito isso antes.

Por Gabriela Pavão 

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.