Cão submetido a cirurgia plástica porque tutores não gostam das orelhas

Cão submetido a cirurgia plástica porque tutores não gostam das orelhas

Um cão foi submetido a cirurgia plástica porque os donos não gostavam da forma das suas orelhas. O animal, da raça Jack Russell, foi comprado pela russa Marina Esmat, 37 anos. Era uma oferta para o filho.

Porém, as orelhas do animal estavam a crescer espetadas, em vez de baixarem. Queria que o cão se pareça com o animal d’A Máscara, filme protagonizado por Jim Carrey.

“Reparámos que um mês depois, algo estava errado com as orelhas dele. Decidimos que íamos tratar disto e começámos a procurar um cirurgião. Primeiro, tentámos usar cola e moedas [a fazer peso nas orelhas do animal], mas isso não funcionou”, contou Marina, citada pelo Mirror. “O cão, claro, sentia desconforto. Numa reunião de família decidimos tratar das orelhas com um cirurgião. Os médicos tentaram convencer-nos a não o fazer, mas decidimos que desta maneira seria mais estético.”

Além de quererem mostrar o cão em exposições caninas, afirmam que de outra maneira era difícil encontrar parceiras para o animal: “Gostávamos que ele tivesse cachorrinhos, mas com as orelhas levantadas não encontrávamos uma parceira. Agora está tudo bem.”

O cão alvo de cirurgia plástica

Um dos veterinários falou com o jornal. “Não achámos que a cirurgia se justificasse, mas os donos pedem-na muito. Querem mudar a aparência da orelha para que pareça que o cão pertence a alguma raça”, explicou.

Fonte: Insólito


Nota do Olhar Animal: Futilidade em cima de futilidade, submetendo o cão a procedimentos desnecessários e que põe em risco sua saúde. As cirurgias estéticas são proibidas no Brasil desde 1934, ainda que durante muitas décadas as autoridades tenham feito vistas grossas para este crime.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.